Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2010 > 09 > Países da Tríplice Fronteira debatem avanços na proteção da criança e adolescente

Geral

Países da Tríplice Fronteira debatem avanços na proteção da criança e adolescente

por Portal Brasil publicado: 01/09/2010 21h26 última modificação: 28/07/2014 09h08

Será lançado nesta quinta-feira (2), em Foz do Iguaçu (PR) o Marco de Proteção de Crianças e Adolescentes da Tríplice Fronteira, uma região estigmatizada pelo contrabando e pelo tráfico de drogas e de pessoas, onde ainda existem grandes desafios para a aplicação da lei.


Os avanços e desafios na garantia do direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes da América Latina serão o principal tema do Seminário Latino-Americano da Rede de Acolhimento Familiar, que começa nesta quinta-feira (2), em Foz do Iguaçu. .
 

O encontro, que tem atividades até o sábado (4), pretende mostrar os esforços e experiências dos diferentes países da América Latina no tema.  Além do Brasil, haverá apresentações de profissionais, gestores e executores de políticas públicas da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, Haiti, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai, Venezuela, Holanda e Inglaterra.
 

Antes do seminário, autoridades brasileiras vão participar da inauguração do Marco de Proteção de Crianças e Adolescentes da Tríplice Fronteira, no viaduto de acesso ao Paraguai.
 

Na agenda do evento, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Márcia Lopes, representará o Brasil na cerimônia de assinatura do Decreto que vai criar a Comissão Permanente para o Desenvolvimento e Integração Fronteiriça.
 

Acolhimento garante proteção integral


O acolhimento é uma modalidade de atendimento a crianças e adolescentes afastados da família de origem mediante medida protetiva.
 

O objetivo do instrumento é oferecer proteção integral a essas crianças em famílias voluntárias, que passam por uma seleção e atuam em parceria com uma equipe formada por técnicos que operam a Política Nacional de Assistência Social.

 
Nessa estrutura, a criança ou adolescente deve permanecer na família acolhedora até no máximo de dois anos, de acordo com a nova Lei de Adoção. O objetivo é, neste período, reintegrá-los à sua própria família ou, excepcionalmente, encaminhá-los para família substituta.


 

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS)

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

Legislação garante direitos humanos e combate a xenofobia
Legislação garante direitos humanos e combate a xenofobia
Arquivo/Agência Brasil
Nenhuma norma anterior à nova lei tratava da proteção aos apátridas, asilados e brasileiros no exterior
Nenhuma norma anterior à nova lei tratava da proteção aos apátridas, asilados e brasileiros no exterior
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Antes, a única forma de resolver essa situação era procurar a justiça para iniciar o processo legal
Antes, a única forma de resolver essa situação era procurar a justiça para iniciar o processo legal
Foto: Meneguini/Governo do Mato Grosso
Tráfico de pessoas é uma violação dos direitos humanos e é um problema em escala global
Tráfico de pessoas é uma violação dos direitos humanos e é um problema em escala global
Arquivo/EBC

Governo digital