Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2011 > 03 > Ceará lançará campanha de combate ao tráfico de pessoas

Cidadania e Justiça

Ceará lançará campanha de combate ao tráfico de pessoas

por Portal Brasil publicado: 23/03/2011 15h56 última modificação: 28/07/2014 14h57

Uma campanha para coibir o tráfico de pessoas será lançada no Ceará, nesta quinta-feira (24), em Fortaleza (CE), com a distribuição de cartazes, cartilhas e panfletos em pontos estratégicos, como conselhos tutelares, aeroportos, rodoviárias e outros locais de grande circulação de turistas. 

A campanha “Nesta luta, o inimigo pode estar mais perto do que você imagina” também vai envolver a capacitação de agentes públicos e privados para que eles possam colaborar no enfrentamento ao crime.

O evento marca também a retomada das atividades do Posto Avançado de Atendimento Humanizado aos Migrantes, localizado no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

O Posto Avançado de Atendimento Humanizado aos Migrantes, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, funcionará de segunda a domingo, de 8h às 17h. A unidade vai acolher brasileiros que tiveram sua entrada negada em outros países ou foram deportados e apurar denúncias recebidas pela Polícia Federal em embarques internacionais. 

Levantamento do Escritório de Enfrentamento e Prevenção ao Trafico de Seres Humanos e Proteção a Vitima do Ceará aponta que, de 2008 a 2010, houve 1.171 denúncias e mais de 530 atendimentos a vítimas cearenses foram realizados.

A solenidade será no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza (CE), às 9 horas. As duas iniciativas são resultado de uma parceria do governo do Ceará com a Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) e fazem parte do Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.


Fonte:
Ministério da Justiça

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais creches, mais escolas
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
As Margaridas são contra a PEC 171
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
A Marcha das Margaridas 2015
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
Mais creches, mais escolas
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
As Margaridas são contra a PEC 171
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
A Marcha das Margaridas 2015

Últimas imagens

Resultado mostra que o tema está inserido no dia a dia da gestão pública para apoiar a superação da pobreza em todo o País
Resultado mostra que o tema está inserido no dia a dia da gestão pública para apoiar a superação da pobreza em todo o País
Divulgação/Governo de GO
Ação contou com a participação direta das famílias, que construíram em suas comunidades os mobiliários das Arcas
Ação contou com a participação direta das famílias, que construíram em suas comunidades os mobiliários das Arcas
Divulgação/MDA
Expectativa é que pelo menos duas mil trabalhadoras do campo sejam atendidas
Expectativa é que pelo menos duas mil trabalhadoras do campo sejam atendidas
Rômulo Serpa
Estudo indica crescimento de rede de proteção a favor de mulheres em todo país
Estudo indica crescimento de rede de proteção a favor de mulheres em todo país
Elza Fiúza/Agência Brasil
Objetivo é permitir que palestinos, israelenses e brasileiros apresentem e debatam propostas para a resolução do conflito
Objetivo é permitir que palestinos, israelenses e brasileiros apresentem e debatam propostas para a resolução do conflito
Dovulgação/Fórum 18

Governo digital