Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2011 > 06 > Comunidades quilombolas do Pará começam a ser avaliadas

Cidadania e Justiça

Comunidades quilombolas do Pará começam a ser avaliadas

por Portal Brasil publicado: 30/06/2011 12h19 última modificação: 28/07/2014 15h00

Crianças de até 5 anos, moradoras de 102 comunidades quilombolas do Pará começam a ser pesadas e medidas nesta semana. Um estudo, conduzido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) , em parceria com a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), está sendo realizado em todo o País para analisar o perfil nutricional das crianças de comunidades quilombolas e para avaliar a situação socioeconômica das famílias.  A pesquisa é conduzida por pesquisadores do Núcleo de Pesquisa, Informação e Políticas Públicas da Universidade Federal Fluminense (DataUFF).

 “Também faremos o georreferenciamento de todos os domicílios e de todos os equipamentos públicos disponíveis na região”, explica Junia Quiroga,  do MDS,.


Coleta de dados

A equipe de pesquisadores já realizou o trabalho de campo em quatro regiões brasileiras – Centro-Oeste, Nordeste, Sul e Sudeste. Agora, vão coletar os dados sobre a situação nutricional de 102 comunidades quilombolas na região Norte. Agentes comunitários de saúde também participam na ação de pesar e medir as crianças.

De acordo com Junia Quiroga, 173 comunidades quilombolas tituladas, localizadas em 55 municípios brasileiros, serão avaliadas. “A pesquisa, da forma como está sendo feita, é inédita no Brasil. Em 2006, fizemos um levantamento, porém, além de ter visitado um número menor de comunidades, o questionário era mais simples. Dessa vez, toda a pesquisa será diferente: teremos um universo muito maior de comunidades e um questionário bem mais detalhado”, diz.

A previsão do MDS é de que os resultados do estudo sejam divulgados em 2012, mas outras pesquisas podem surgir em seguida, adianta Júnia Quiroga. “Embora a pesquisa atual fique restrita as 173 comunidades tituladas até 2009, nossa expectativa é que outro levantamento seja feito daqui a três ou cinco anos, e, então, incluiremos as comunidades tituladas após 2009”.

 

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais creches, mais escolas
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
As Margaridas são contra a PEC 171
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
A Marcha das Margaridas 2015
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
Mais creches, mais escolas
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
As Margaridas são contra a PEC 171
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
A Marcha das Margaridas 2015

Últimas imagens

Resultado mostra que o tema está inserido no dia a dia da gestão pública para apoiar a superação da pobreza em todo o País
Resultado mostra que o tema está inserido no dia a dia da gestão pública para apoiar a superação da pobreza em todo o País
Divulgação/Governo de GO
Ação contou com a participação direta das famílias, que construíram em suas comunidades os mobiliários das Arcas
Ação contou com a participação direta das famílias, que construíram em suas comunidades os mobiliários das Arcas
Divulgação/MDA
Expectativa é que pelo menos duas mil trabalhadoras do campo sejam atendidas
Expectativa é que pelo menos duas mil trabalhadoras do campo sejam atendidas
Rômulo Serpa
Estudo indica crescimento de rede de proteção a favor de mulheres em todo país
Estudo indica crescimento de rede de proteção a favor de mulheres em todo país
Elza Fiúza/Agência Brasil
Objetivo é permitir que palestinos, israelenses e brasileiros apresentem e debatam propostas para a resolução do conflito
Objetivo é permitir que palestinos, israelenses e brasileiros apresentem e debatam propostas para a resolução do conflito
Dovulgação/Fórum 18

Governo digital