Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2011 > 12 > Goiânia ganha Centro de Documentação da Previdência Social

Cidadania e Justiça

Goiânia ganha Centro de Documentação da Previdência Social

por Portal Brasil publicado: 16/12/2011 13h15 última modificação: 28/07/2014 15h07

A cidade de Goiânia (GO) ganhou um Centro de Documentação da Previdência Social (CedocPREV). A unidade, inaugurada na quinta-feira (15), é destinada ao armazenamento, tratamento digital e conservação de documentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O CedocPREV é uma unidade totalmente informatizada, responsável por receber e digitalizar os processos de benefícios e de outros setores das Agências da Previdência Social (APS) e da Gerência-Executiva do INSS em Goiânia.

O Centro de Documentação foi projetado de acordo com as normas exigidas para a guarda do acervo documental, com capacidade para armazenar 40 mil caixas–arquivos de processos de benefícios. O investimento na construção da unidade superou os R$ 900 mil.

Com a inauguração, chega a 11 o número de CedocPREVs instalados nas regiões Norte e Centro-Oeste. Cada unidade conta com os serviços da Central de Atendimento a Pesquisas Processuais (Capture), cujo objetivo é referenciar, higienizar, preparar e digitalizar documentos da Previdência Social. O resultado é a proteção dos documentos pela redução do manuseio, a economia de recursos e a rapidez no atendimento às buscas documentais.

 

Fonte:
Ministério da Previdência Social

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais creches, mais escolas
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
As Margaridas são contra a PEC 171
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
A Marcha das Margaridas 2015
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
Durante evento de abertura da Marcha da Margaridas, Maria das Neves, coordenadora da Juventude da União Brasileira de Mulheres (UBM), defende manutenção dos 18 anos como marco etário penal brasileiro.
Mais creches, mais escolas
"Nós compreendemos que, de fato, o Brasil tem uma dívida com esses jovens (...)", defende Alessandra Lunas, secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
As Margaridas são contra a PEC 171
Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) estima que 70 mil pessoas tenham ocupado gramado do Congresso Nacional em 2015.
A Marcha das Margaridas 2015

Últimas imagens

Antiga reivindicação do setor pesqueiro, os CPGs é o local de debate entre o sociedade civil, setor pesqueiro e governo
Antiga reivindicação do setor pesqueiro, os CPGs é o local de debate entre o sociedade civil, setor pesqueiro e governo
Divulgação/ Ministério da Pesca e Aquicultura
Agricultores de municípios do RS começam a receber sementes
Agricultores de municípios do RS começam a receber sementes
Divulgação/ Ministério do Desenvolvimento Agrário
Informação como direito do cidadão tem se tornado cada dia uma realidade mais consistente
Informação como direito do cidadão tem se tornado cada dia uma realidade mais consistente
Divulgação/Blog da Previdência
Ao todo, são quatro categorias (Desenho, Redação I, Redação II e Redação III) que oferecerão prêmios aos três melhores trabalhos de cada série
Ao todo, são quatro categorias (Desenho, Redação I, Redação II e Redação III) que oferecerão prêmios aos três melhores trabalhos de cada série
Divulgação/Governo da BA
Ministra afirmou que cisternas são oportunidade para a população pobre que vive na zona rural
Ministra afirmou que cisternas são oportunidade para a população pobre que vive na zona rural
Divulgação/ MDS

Governo digital