Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2012 > 04 > Conheça seus direitos sobre a compra de gás de cozinha

Cidadania e Justiça

Conheça seus direitos sobre a compra de gás de cozinha

Regularização

Apenas o comerciante com autorização pode vender gás de botijão. No caso do produto canalizado, as tarifas são definidas pelos estados
por Portal Brasil publicado: 12/04/2012 16h41 última modificação: 28/07/2014 16h23
Para ter seus direitos garantidos, o usuário só deve comprar botijão de gás de revenda autorizada

Para ter seus direitos garantidos, o usuário só deve comprar botijão de gás de revenda autorizada

Quem utiliza o Gás Liquefeito de Petróleo (o GLP, um derivado de petróleo também conhecido como gás de cozinha ou gás de botijão) deve ficar atento a uma série de direitos que são definidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o órgão federal que regula o setor.

No caso do gás de cozinha, não há qualquer tipo de tabelamento, ou seja, os preços são livres. Mas semanalmente a ANP realiza um levantamento de preços e volumes vendidos em todo o Brasil.

Apenas o comerciante que tiver autorização da agência pode vender gás de botijão. O Código de Defesa do Consumidor não ampara compras feitas em revendedores ilegais. Dessa forma, para ter seus direitos garantidos, o usuário só deve comprar de revenda autorizada. É possível verificar se o comerciante está regularizado no site da ANP ou pelo telefone gratuito 0800 970 0267.

Uma dica para checar a regularização do serviço é verificar se o veículo de entrega (caminhão, caminhonete etc.) exibe o nome e o número de telefone da distribuidora (e, às vezes, também do revendedor), para o cliente ter onde reclamar, caso precise.

A ANP recomenda que o usuário nunca compre botijão danificado, amassado ou enferrujado. E também que somente compre botijão lacrado e que tenha inscrição da marca da distribuidora em alto-relevo, rótulo com instruções de uso, nome e telefone da distribuidora. Além disso, deve verificar mês e ano de fabricação legíveis (o botijão pode ter até 15 anos). Nos recipientes requalificados, há uma data de validade em torno da válvula.

É importante verificar, caso o botijão seja comprado em um revendedor, o peso do produto. O revendedor autorizado pela ANP é obrigado a ter uma balança certificada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) dentro do local de venda. Para verificar o peso, consumidor deve levar em conta o peso do botijão vazio (isso deve constar na alça dele) – em média são 15 kg (pode haver variação), mais o peso líquido do GLP, que é de 13 kg. Neste caso, o peso da balança é de 28 kg.

O consumidor jamais deve levar um botijão com peso fora do padrão e recomenda-se que denuncie a empresa que tentar fraudar a normas da ANP. O consumidor deve sempre exigir e manter a nota fiscal.

Gás canalizado

O gás canalizado – consumido em residências, comércio e indústrias – é o gás natural distribuído por concessionárias. As regras para o setor são definidas pelas agências reguladoras estaduais.

As tarifas de distribuição do gás canalizado são de competência dos estados. Os usuários que não estiverem satisfeitos com o atendimento das concessionárias devem procurar os serviços de atendimento ao consumidor das empresas, que são obrigatórios.

Se não forem atendidos satisfatoriamente, podem recorrer às ouvidorias. Caso o problema não tenha sido resolvido, é possível procurar o serviço de atendimento ao usuário das agências reguladoras estaduais.

Fonte:
Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo lança edital do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial
Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial disponibiliza mais de R$ 4 milhões em 2015 para projetos destinados a combater o racismo.
Deputado defende medidas alternativas à redução da maioridade penal
Alessandro Molon (PT-RJ) é a favor de aprimoramento do Estatuto da Criança e do Adolescente
Alessandro Molon defende esclarecimento sobre maioridade penal
Deputado federal destaca que condenar redução da maioridade não significa defender impunidade
Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial disponibiliza mais de R$ 4 milhões em 2015 para projetos destinados a combater o racismo.
Governo lança edital do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial
Alessandro Molon (PT-RJ) é a favor de aprimoramento do Estatuto da Criança e do Adolescente
Deputado defende medidas alternativas à redução da maioridade penal
Deputado federal destaca que condenar redução da maioridade não significa defender impunidade
Alessandro Molon defende esclarecimento sobre maioridade penal

Últimas imagens

Reduzir pela metade a proporção da população que sofre de fome
Reduzir pela metade a proporção da população que sofre de fome
ONU
Cursos de qualificação profissional do Pronatec são oferecidos gratuitamente
Cursos de qualificação profissional do Pronatec são oferecidos gratuitamente
Divulgação/Gov da Bahia
Artistas protestam contra PEC aprovada em primeiro turno
Artistas protestam contra PEC aprovada em primeiro turno
Divulgação
Investimento social total do programa será de R$ 5 milhões
Investimento social total do programa será de R$ 5 milhões
Albino Oliveira/MDA
Uma das ações do governo federal é o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil
Uma das ações do governo federal é o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil
Divulgação/Governo do RS

Governo digital