Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2012 > 05 > 69% das escolas públicas de tempo integral têm maior parte de alunos do Bolsa Família

Cidadania e Justiça

69% das escolas públicas de tempo integral têm maior parte de alunos do Bolsa Família

por Portal Brasil publicado: 31/05/2012 20h18 última modificação: 28/07/2014 16h20

A parceria entre Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Ministério da Educação (MEC) aumentou o índice de alunos pertencentes a famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família contemplados pelo programa Mais Educação. Em 2012, 69% das escolas do Mais Educação têm maioria de alunos do Bolsa Família, contra 30%, em média, nos anos anteriores.

O dado foi divulgado nesta quinta-feira (31) pelo diretor de Condicionalidades do MDS, Daniel Ximenes, durante o IV Seminário Nacional de Educação Integral: Contribuições do Programa Mais Educação, em Brasília. O Mais Educação foi criado em 2007 para diminuição das desigualdades educacionais e valorização da diversidade cultural brasileira. A escola pública que adere ao programa passa atender os alunos com uma jornada diária de sete horas.

O principal critério para adesão das escolas ao Programa Mais Educação, em 2012, foi o de escola com maioria de estudantes beneficiários do programa de transferência de renda do governo federal. “Essa agenda em discussão é muito importante para o MDS, tanto para o Plano Brasil Sem Miséria, quanto para a agenda do Bolsa Família e condicionalidades”, disse Ximenes.

Segundo o coordenador-geral de Educação Integral do MEC, Leandro Fialho, cerca de 32,4 mil escolas publicas são participantes do programa. Das novas escolas que entraram no programa em 2012, cerca de 12 mil são compostas por maioria de alunos do Bolsa Família.

“Nos anos anteriores nós tínhamos um critério de vulnerabilidade, o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Nós vimos que apesar de termos um indicador de vulnerabilidade educacional, isso não se traduzia numa vulnerabilidade socioeconômica da família”, assinalou Leandro Fialho.

 

Fonte:
Brasil Sem Miséria

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Cooperação internacional é fundamental para o combate ao trabalho infantil
Francisco José Ibiapina destaca que problema do trabalho infantil é combatido mundialmente
Políticas de redução da desigualdade auxiliam no combate ao trabalho infantil
Segundo Francisco José Ibiapina, políticas afirmativas de redução da desigualdade e combate à pobreza são importantes no contexto de redução do trabalho infantil
Ministério do Trabalho explica como Brasil atua no combate ao trabalho infantil
Francisco José Ibiapina, ministro interino, explica como o ministério atua no combate ao trabalho infantil
Francisco José Ibiapina destaca que problema do trabalho infantil é combatido mundialmente
Cooperação internacional é fundamental para o combate ao trabalho infantil
Segundo Francisco José Ibiapina, políticas afirmativas de redução da desigualdade e combate à pobreza são importantes no contexto de redução do trabalho infantil
Políticas de redução da desigualdade auxiliam no combate ao trabalho infantil
Francisco José Ibiapina, ministro interino, explica como o ministério atua no combate ao trabalho infantil
Ministério do Trabalho explica como Brasil atua no combate ao trabalho infantil

Últimas imagens

Ministros do Trabalho dos Países do Mercosul estiveram reunidos em Brasília para discutir assuntos comuns
Ministros do Trabalho dos Países do Mercosul estiveram reunidos em Brasília para discutir assuntos comuns
José Cruz / Agência Brasil
Número de famílias atendidas passa das atuais 100 mil para 330 mil em todo o País
Número de famílias atendidas passa das atuais 100 mil para 330 mil em todo o País
Divulgação/MDA
Diariamente, são servidas 2 milhões de refeições nas escolas públicas da capital paulista
Diariamente, são servidas 2 milhões de refeições nas escolas públicas da capital paulista
Divulgação/Governo de SP
Sede da ONU, na Suíça, local em que foi debatida redução da maioridade penal no Brasil
Sede da ONU, na Suíça, local em que foi debatida redução da maioridade penal no Brasil
No Brasil, entre 2011 e 2014, foram quase 560 mil mulheres atendidas com o Programa
No Brasil, entre 2011 e 2014, foram quase 560 mil mulheres atendidas com o Programa
Paulo Henrique Carvalho/ MDA

Governo digital