Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2012 > 11 > Agentes de segurança farão curso de combate à tortura

Cidadania e Justiça

Agentes de segurança farão curso de combate à tortura

por Portal Brasil publicado: 09/11/2012 16h18 última modificação: 28/07/2014 16h19
Divulgação / Ministério Público RS O governo pretende acabar com a tortura, principalmente, em delegacias, abordagens policiais, unidades prisionais e manicômios

O governo pretende acabar com a tortura, principalmente, em delegacias, abordagens policiais, unidades prisionais e manicômios

Trabalhadores da área de segurança pública receberão o curso à distância para acabar com a prática da tortura no País

 

Profissionais de segurança pública terão cursos de combate à tortura a distância. O objetivo é acabar com a tortura em delegacias, abordagens policiais, unidades prisionais e manicômios. O início do curso está marcado para o primeiro semestre de 2013 e será oferecido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça (MJ).

Com o curso, o primeiro voltado para a prevenção da tortura no País, o Ministério pretende eliminar o costume da tortura realizado como prática cultural da sociedade.

A preparação do curso foi tema da 26ª reunião do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura no Brasil, que aconteceu nessa sexta-feira (9).

O comitê, criado em 26 de junho de 2006, prevê a participação de pelo menos dez representantes de órgãos do governo federal e da sociedade civil. Entre as instituições estão os ministérios das Relações Exteriores e o Ministério da Justiça, além da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão. Participam também o Conselho Nacional dos Procuradores Gerais, o Colégio dos Presidentes de Tribunais de Justiça, o Centro pela Justiça e Direito Internacional e a Pastoral Carcerária.

 

Capacitação

Com o objetivo de educar e criar uma nova consciência nos profissionais que atuam em áreas ligadas à prática da tortura, a Coordenação-Geral de Combate à Tortura (CGCT), da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, já realiza capacitações, oficinas e seminários, como as oficinas internacionais de monitoramento dos locais de privação de liberdade, oficinas de capacitação em perícia forense, seminários e encontros de comitês estaduais de combate à tortura.

Em 2011, a coordenação organizou duas oficinas de monitoramento de locais de privação de liberdade, em parceria com a Associação para a Prevenção da Tortura, em Minas Gerais e Pernambuco. Também foram organizadas duas oficinas de perícia forense nos estados da Bahia e de Pernambuco. Participaram dessas oficinas pessoas provenientes tanto da sociedade civil quanto do Poder Público, cuja atuação é ligada à prevenção da tortura em locais de privação de liberdade.

 

Crimes de tortura

A maioria dos casos de tortura (65%) é de pessoas presas em cadeias públicas, delegacias de polícia e presídios (mais de 48%).

A ocorrência da tortura em dependências policiais ou presidiárias dificulta as denúncias. Segundo a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, sete de cada dez denúncias foram anônimas. “Essas pessoas não apresentaram identidade porque temem represália. Em geral, estão denunciando agentes que deveriam cumprir a lei”, assinala.

A decisão do Disque 100 de registrar casos de torturas em prisões acontece uma semana depois do Brasil ter acatado sugestões do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU) sobre o sistema prisional brasileiro.

Segundo ela, o fenômeno ainda guarda relação com práticas da época da ditadura militar. “Há uma cultura nas instituições brasileiras que foi formada ao longo do tempo e que tem no epicentro da formação cultural manuais nefastos e perversos que foram lançados na preparação de agentes policiais para orientar como torturar para [obter] delação da resistência.”

 

Disque Denúncia

O serviço funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de defesa e responsabilização, conforme a competência, em um prazo de 24h. A identidade do denunciante é mantida em absoluto sigilo.

Pode ser acessado por meio dos seguintes canais:

• discagem direta e gratuita do número 100;

• envio de mensagem para o e-mail:  disquedenuncia@sdh.gov.br;

• na página na internet;

• ligação internacional. Fora do Brasil por meio do número: +55 61 3212.8400

 

Fonte:
Agência Brasil
Secretaria de Direitos Humanos
Portal Brasil

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo lança novas regras para exames toxicológicos em condutores
Para combater o uso de drogas e aumentar a segurança nas estradas, o Denatran lançou novas regras para os exames que detectam essas substâncias nos condutores
Consumidores recebem comunicado de recall pela internet
Brasil teve, em dez anos, um aumento de 221% no serviço de recall. A partir de agora, os consumidores vão ter pela internet uma nova maneira de se manterem informados sobre os produtos adquiridos
Parceria entregou mais de 100 mil cisternas para moradores do semiárido
O semiárido representa quase 20% do território brasileiro. As cisternas captam e armazenam água da chuva
Para combater o uso de drogas e aumentar a segurança nas estradas, o Denatran lançou novas regras para os exames que detectam essas substâncias nos condutores
Governo lança novas regras para exames toxicológicos em condutores
Brasil teve, em dez anos, um aumento de 221% no serviço de recall. A partir de agora, os consumidores vão ter pela internet uma nova maneira de se manterem informados sobre os produtos adquiridos
Consumidores recebem comunicado de recall pela internet
O semiárido representa quase 20% do território brasileiro. As cisternas captam e armazenam água da chuva
Parceria entregou mais de 100 mil cisternas para moradores do semiárido

Últimas imagens

Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Foto: Mauro Vieira /MDS
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Foto: Mauro Vieira /MDS
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Foto: Mauro Vieira /MDS
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Foto: Mauro Vieira /MDS
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Mães e cuidadoras já percebem e relatam grandes evoluções no desenvolvimento das crianças e na relação com a família
Foto: Mauro Vieira /MDS

Governo digital