Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2014 > 08 > Cidades aderem a programa para segurança alimentar

Cidadania e Justiça

Cidades aderem a programa para segurança alimentar

Agricultura familiar

Agora são 613 municípios e 23 estados aptos a operar modelo do programa; adesão permite execução simplificada das ações
por Portal Brasil publicado: 01/08/2014 10h19 última modificação: 01/08/2014 15h44

Mais 18 prefeituras de seis estados firmaram compromisso para executar o programa promove o acesso a alimentos às populações em situação de insegurança alimentar e promove a inclusão social e econômica no campo por meio do fortalecimento e aquisição de alimentos da da agricultura familiar, com a modalidade de Compra com Doação Simultânea. O programa é coordenado pelo Ministério do Social e Combate à Fome (MDS).

Novas cidades que aderiram ao PAA

 

Santa Catarina: Araranguá

Rio Grande do Sul: Cerro Grande, Quinze de Novembro e Tapes

Sergipe: Lagarto, Japoatã e Japaratuba

Bahia: Cruz das Almas, Itamaraju, Jaguarari, Miguel Calmon, Mucuri, Piraí do Norte e Utinga

Maranhão: Sambaíba

Minas Gerais: Serranópolis de Minas, Joaíma e Paineiras

 

Os termos de adesão das prefeituras nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Sergipe foram publicados nessa quinta-feira (31), no Diário Oficial da União, enquanto dos estados da Bahia, Maranhão e Minas Gerais nesta sexta-feira (1º). Com as novas adesões, 613 municípios e 23 estados estão aptos a operar o novo modelo do programa.

Na modalidade de Compra com Doação Simultânea, os produtos adquiridos dos agricultores familiares são doados às entidades da rede sócio-assistencial, aos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional (restaurantes populares, cozinhas comunitárias e bancos de alimentos).

 “O pagamento é feito diretamente aos agricultores familiares, por meio de cartão bancário, e não há a necessidade de repasse de recursos para estados e cidades. Isso facilita o gerenciamento do programa, entre outros avanços na execução”, ressalta o coordenador geral do MDS, Fernando Brutto.

Próximo passo

As prefeituras que aderiram ao novo modelo devem elaborar um plano operacional com propostas de participação no programa. O documento apresenta metas relacionadas ao número de fornecedores e de entidades a serem atendidas.

São definidos também os parâmetros de execução, como o percentual de agricultores familiares em situação de pobreza a venderem a produção, o de mulheres agricultoras e o de produtos orgânicos ou agroecológicos a serem adquiridos.

Os termos de adesão substituem os convênios – formato anterior de operação do PAA – e permitem que estados e municípios executem as ações de maneira mais simples e ágil. Além disso, o acompanhamento e o monitoramento das ações são realizados por meio de um sistema informatizado, alimentado pelos gestores locais.

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

Legislação garante direitos humanos e combate a xenofobia
Legislação garante direitos humanos e combate a xenofobia
Arquivo/Agência Brasil
Nenhuma norma anterior à nova lei tratava da proteção aos apátridas, asilados e brasileiros no exterior
Nenhuma norma anterior à nova lei tratava da proteção aos apátridas, asilados e brasileiros no exterior
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Antes, a única forma de resolver essa situação era procurar a justiça para iniciar o processo legal
Antes, a única forma de resolver essa situação era procurar a justiça para iniciar o processo legal
Foto: Meneguini/Governo do Mato Grosso
Tráfico de pessoas é uma violação dos direitos humanos e é um problema em escala global
Tráfico de pessoas é uma violação dos direitos humanos e é um problema em escala global
Arquivo/EBC

Governo digital