Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2014 > 10 > Índios Tembé vencem preconceito em Santa Maria

Cidadania e Justiça

Índios Tembé vencem preconceito em Santa Maria

Cultura

Trabalho conjunto entre autoridades e representantes dos índios garantiu o reconhecimento deles como etnia indígena pelo município
por Portal Brasil publicado: 06/10/2014 14h05 última modificação: 06/10/2014 14h05

Os índios Tembé, da região de Santa Maria do Pará, foram reconhecidos como etnia indígena pela população e por autoridades do município. 

O processo ao longo dos anos foi gradativo, mas acelerado no final da década de 90, quando o historiador Laércio Braga tornou pública a identificação de alguns Tembé feita durante um trabalho desenvolvido em Santa Maria do Pará. A partir daí, o apoio do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) também foi decisivo para que os índios virassem o jogo.

"Vocês (índios Tembé) fazem parte da nossa história. Santa Maria (do Pará) começou com vocês. Sabemos da importância da cultura indígena para o Brasil", declarou a secretária de Cultura de Santa Maria do Pará, Roseane Ferreira, durante o encerramento da oficina promovida pela Secretaria Estadual de Direitos Humanos (SEJUDH) com o objetivo de elaborar um plano operativo para atender às necessidades imediatas dos 422 índios que habitam as aldeias Jeju e Areal, num total de 100 famílias. "É mais do que nossa obrigação atender os Tembé. Mas vocês (índios) precisam procurar mais a empresa", emendou Pedro Paulo Medeiros, chefe do escritório local da Emater em Santa Maria.

Parcerias

A importância do trabalho conjunto entre os órgãos que participaram da oficina - Funai, Sagri, Emater, Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) e Sespa -, que ocorreu no final de setembro, foi enfatizado pela titular da Coordenação de Proteção dos Direitos dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais do SEJUDH, Luana Arruda: "Nada se consegue sozinho. Acredito muito na parceria das entidades aqui representadas (âmbito federal, estadual e municipal), mas para que o trabalho continue, precisamos estreitar a relação e promover mais ações desse tipo, visando a melhoria das condições de vida dos índios do Jeju e Areal".

André Pantoja, que chefia a Coordenação Técnica Local da Funai em Tomé-Açu, também responsável pelo atendimento dos Tembé de Santa Maria desde o final do ano passado, ressaltou que o estreitamento da relação entre índios e instituições governamentais está abrindo novos horizontes para as comunidades indígenas. "Os trabalhos durante a oficina foram bem-sucedidos, sobretudo porque os índios facilitaram o processo. Essas articulações institucionais renderão bons frutos no futuro", prevê o técnico da Funai, formado em Ciências Sociais pela UFPa.

Fonte:

Fundação Nacional do Índio

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Arquivo/EBC
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital