Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2015 > 01 > Serviço de orientação sobre drogas tem alta em atendimentos sobre cocaína

Cidadania e Justiça

Serviço de orientação sobre drogas tem alta em atendimentos sobre cocaína

Prevenção e controle

Trata-se da maior busca por informações sobre a droga na história do serviço Ligue 132, iniciativa do programa “Crack, é possível vencer”
por Portal Brasil publicado: 06/01/2015 17h36 última modificação: 06/01/2015 17h36

O serviço de teleatendimento do Ligue 132, que presta auxílio a familiares e usuários de drogas, teve aumento de 13% das ligações relacionadas à cocaína e derivados, como o crack, em 2014. Das 26.051 ligações atendidas no call center de janeiro a novembro de 2014, 12.189 foram relacionadas a cocaína e crack, o que representa 46% dos atendimentos realizados no ano. Em 2013, esse volume foi de 33%.

Esta é a maior busca de informação sobre uma substância já registrada no serviço, que está em atividade desde 2005. De acordo com a supervisora do Ligue 132, Bárbara Diniz, esse aumento pode ser em função da expressiva divulgação referente aos problemas do uso de cocaína e derivados na mídia. “Muitos ligam pedindo informações a respeito das consequências do uso e aproveitam para aumentar a rede de apoio em busca de tratamento. Às vezes o indivíduo é orientado a também buscar auxílio profissional para outras comorbidades apresentadas, como depressão, ansiedade e entre outros.”

Para atender a esses casos específicos, o Ligue 132 desenvolveu uma metodologia própria, com apoio aos indivíduos tornando cada atendimento único. De acordo com a coordenadora de pesquisa do Ligue 132, Maristela Ferigolo, quem procurar orientações pelo Ligue 132 poderá encontrar atendimento personalizado.  “Com profissionais capacitados, o serviço se preocupa em ouvir tanto o usuário quanto o familiar e presta aconselhamento personalizado por meio da intervenção breve motivacional estimulando-os a refletir e mudar seu comportamento-problema.”

Para a coordenadora do programa, Helena Maria Tannhauser Barros, “o aumento na busca de orientações e informações sobre cocaína e crack não significa que houve aumento no uso e, sim, que usuários de drogas e familiares estão mais conscientizados quanto aos problemas do uso de cocaína e quanto a possibilidade de obter auxílio para a mudança de comportamento”,

Os estados que mais buscaram informações e orientações sobre cocaína foram São Paulo, com 2.056 atendimentos, Rio de Janeiro, com 1.028, e Rio Grande do Sul, com 993. Os usuários de drogas foram quem mais buscaram ajuda no Ligue 132, sendo responsáveis por 47% dos atendimentos referentes à cocaína. Os familiares também tiveram uma fatia considerável com 44% dos atendimentos.

Saiba mais sobre o Ligue 132

O Ligue 132 é um serviço do programa “Crack, é possível vencer”, financiado pelo Governo Federal, que tem como objetivo prevenir o uso de drogas no país, atendendo a casos de álcool, tabaco, cocaína, maconha e entre outras substâncias. É uma parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e AMTEPA. O serviço atende de forma sigilosa e anônima 24 horas por dia, incluindo feriados e finais de semana.

Fonte:
Ministério da Justiça

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Plataforma permite que brasileiros sugiram mudanças para melhorar o serviço público
Governo desenvolve portal online para que brasileiros façam sugestões de melhorias ao serviço público
Governo chama atenção de consumidores para segurança de produtos
Anvisa e Ministério da Justiça destacam a necessidade do consumo seguro, principalmente, nos casos de compras pela internet
Famílias em situação de risco recebem casas do Minha Casa Minha Vida
Setecentas e vinte famílias que moravam em casas sujeitas à enchentes receberam apartamentos do programa em Bom Jardim, no Rio
Governo desenvolve portal online para que brasileiros façam sugestões de melhorias ao serviço público
Plataforma permite que brasileiros sugiram mudanças para melhorar o serviço público
Anvisa e Ministério da Justiça destacam  a necessidade do consumo seguro, principalmente, nos casos de compras pela internet
Governo chama atenção de consumidores para segurança de produtos
Setecentas e vinte famílias que moravam em casas sujeitas à enchentes receberam apartamentos do programa em Bom Jardim, no Rio
Famílias em situação de risco recebem casas do Minha Casa Minha Vida

Últimas imagens

Inscrições para o programa foram prorrogadas até 3 de novembro. Para participar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único e ter mais de 15 anos
Inscrições para o programa foram prorrogadas até 3 de novembro. Para participar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único e ter mais de 15 anos
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Medida também vale para outros débitos relacionados ao veículo. Antes, apenas donos de veículos registrados no exterior contavam com esse recurso
Medida também vale para outros débitos relacionados ao veículo. Antes, apenas donos de veículos registrados no exterior contavam com esse recurso
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Verduras, legumes, frutas, carne de frango resfriada, bolachas, pães e doces serão comprados dos produtores e doados à rede socioassistencial no estado
Verduras, legumes, frutas, carne de frango resfriada, bolachas, pães e doces serão comprados dos produtores e doados à rede socioassistencial no estado
Foto: Eduardo Aigner/MDA
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Governo digital