Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2015 > 02 > ONU Brasil lança campanha por um carnaval sem violência contra as mulheres

Cidadania e Justiça

ONU Brasil lança campanha por um carnaval sem violência contra as mulheres

Violência de Gênero

Videos e compartilhamentos nas redes sociais traçam rota da paquera sem abordagens agressivas
por Portal Brasil publicado: 10/02/2015 11h11 última modificação: 10/02/2015 11h11
Divulgação/SPM Mulheres e homens fantasiados e vivenciando o carnaval em pé de igualdade. Este é o conceito da campanha

Mulheres e homens fantasiados e vivenciando o carnaval em pé de igualdade. Este é o conceito da campanha

Com o apoio institucional das Secretarias de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e do Rio de Janeiro (SPM-Rio), iniciativa traça rota da paquera sem abordagens agressivas e apresenta conteúdos para a internet e para os públicos do Rio de Janeiro, Salvador e Brasília.

No clima da diversão carnavalesca e da paquera, a campanha “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito” começou, nesta segunda-feira (9), para chamar a atenção de foliãs e foliões sobre a importância de manter a festa livre de assédio e violência.

Ao slogan principal, somam-se os comandos “Neste carnaval, perca a vergonha. Denuncie. Ligue 180” e “Neste carnaval, perca a vergonha. Proteja-se. Use camisinha.”

Segundo pesquisa do Instituto Avon/Data Popular, realizada em dezembro de 2014, 96% da juventude considera que existe machismo no Brasil, 53% das mulheres jovens e 49% dos homens jovens aprovam valores machistas e 78% delas já foram assediadas em locais públicos.

Além disso, uma outra pesquisa conduzida pelo Ministério da Saúde e divulgada em janeiro de 2015, revela que 45% da população não usa camisinha nas relações sexuais. 

“Centramos nossa energia nos 20 anos da Plataforma de Ação de Pequim por meio da campanha “Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine!”, para ampliar o alcance da mensagem pelos direitos das mulheres no carnaval brasileiro", explica Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil. 


A campanha orienta a população sobre como identificar atitudes violentas, o que fazer e quais os serviços existentes para esses casos e como se prevenir de doenças sexualmente transmissíveis, HIV e aids.

Divulgação

As peças da campanh serão exibidas para os públicos de Salvador em 10 outdoors e 285 mobiliários urbanos de Brasília, e em anúncios no jornal Destak e na Revista de Desfiles do Rio de Janeiro.

Acompanhe a postagem de peças para as redes sociais no facebook.com/onumulheresbrasil e compartilhe os conteúdos com a hastag #naopercaorespeito

Fonte: 
Secretaria de Políticas para as Mulheres
ONU Mulheres 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Arquivo/EBC
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital