Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2015 > 10 > Realidade social melhorou em 16 regiões metropolitanas

Cidadania e Justiça

Realidade social melhorou em 16 regiões metropolitanas

Índice de Vulnerabilidade

Pesquisa do Ipea registra avanços em infraestrutura urbana, capital humano e renda e trabalho; Salvador reduziu mortalidade infantil em 60% entre 2000 e 2010
por Portal Brasil publicado: 05/10/2015 14h30 última modificação: 06/10/2015 12h42

As melhorias na condição de vida do brasileiro, entre 2000 e 2010,  estimularam sensivelmente a realidade social de 16 regiões metropolitanas do País. É o que mostra um levantamento inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado nesta segunda-feira (5). O documento registra redução no Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) em todas as regiões avaliadas. O estudo aponta que, ao contrário do que se via uma década antes, em 2010, nenhuma região figurou mais na pior classificação do IVS  a de "muito alta vulnerabilidade social". 

A pesquisa mostra Salvador como a região metropolitana que mais reduziu a mortalidade infantil no País. A capital baiana conseguiu diminuir o número de crianças mortas com até um ano de vida de 40, em 2000, para 16 a cada mil nascidos, em 2010. Uma redução de 60% no período. 

Em Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia e Porto Alegre, o principal avanço foi na redução do número de jovens entre 15 e 24 anos que não estudam, não trabalham ou têm renda domiciliar per capita menor que meio salário mínimo. Esse indicador em 45% nessas regiões. 

Houve também redução na taxa de desocupação de pessoas acima de 18 anos em todas as 16 regiões. Isso significa que mais pessoas conseguiram emprego formal. O destaque foi Curitiba, onde a desocupação caiu de 13% para 4% na década analisada. 

O Ipea indica, ainda, que 12 regiões conseguiram reduzir a parcela da população vivendo nas suas cidades sem coleta de lixo. Em todas as regiões, as quedas foram superiores a 53% entre 2000 e 2010. Goiânia apresentou a maior redução: 89% dos que não tinham acesso à coleta de lixo passaram a ser atendidos.

Avanços

O documento registra melhoria nas condições de vida metropolitana de acordo com três eixos: infraestrutura urbana (saneamento e mobilidade), capital humano (saúde e educação) e renda e trabalho (emprego e trabalho infantil, entre outros). Nessas categorias, houve avanços. 

A pesquisa tomou com base os dados do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (ADH) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e do Ipea, utilizado na elaboração do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). O recorte pega os dois últimos censos demográficos do Intituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizados em 2000 e 2010.

O IVS varia entre 0 e 1, sendo que, quanto mais próximo a 1, maior a vulnerabilidade social. São quatro categorias: “muito baixa vulnerabilidade” (pontuação de 0 a 0,200), “baixa” (de 201 a 0,300), “média” (0,301 a 0,400), “alta” (0,401 a 0,500) e “muito alta” (501 a 1). 

No ano 2000, três regiões metropolitanas estavam definidas como sendo de “muito alta vulnerabilidade”: Manaus, Recife e São Luís. Manaus passou a ser considerada como de “alta vulnerabilidade”, pontuando IVS de 0,415, em 2010, após melhorar seus indicadores sociais em 25,5%. 

São Luís e Recife passaram a ser classificadas como regiões de “média vulnerabilidade”. A capital maranhense cresceu em 24% o indicador sobre infraestrutura urbana, o que contribuiu para que São Luís saltasse de um IVS de 0,551, em 2000, para 0,395, em 2010. 

A pesquisa do Ipea mostra ainda que 9 regiões metropolitanas deixaram de ser classificadas como de “alta vulnerabilidade”, passando para “média vulnerabilidade” na década pesquisada. São elas: Belém, Belo Horizonte, Distrito Federal, Fortaleza, Goiânia, Natal, Rio de Janeiro, Salvador e Vitória. As regiões metropolitanas de Cuiabá, Curitiba, Porto Alegre e São Paulo atingiram o nível de “baixa vulnerabilidade” entre 2000 e 2010. 

Vulnerabilidade Social - 2000 a 2010

Fonte: Portal Brasil, com informações do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Governo lança novas regras para exames toxicológicos em condutores
Para combater o uso de drogas e aumentar a segurança nas estradas, o Denatran lançou novas regras para os exames que detectam essas substâncias nos condutores
Consumidores recebem comunicado de recall pela internet
Brasil teve, em dez anos, um aumento de 221% no serviço de recall. A partir de agora, os consumidores vão ter pela internet uma nova maneira de se manterem informados sobre os produtos adquiridos
Parceria entregou mais de 100 mil cisternas para moradores do semiárido
O semiárido representa quase 20% do território brasileiro. As cisternas captam e armazenam água da chuva
Para combater o uso de drogas e aumentar a segurança nas estradas, o Denatran lançou novas regras para os exames que detectam essas substâncias nos condutores
Governo lança novas regras para exames toxicológicos em condutores
Brasil teve, em dez anos, um aumento de 221% no serviço de recall. A partir de agora, os consumidores vão ter pela internet uma nova maneira de se manterem informados sobre os produtos adquiridos
Consumidores recebem comunicado de recall pela internet
O semiárido representa quase 20% do território brasileiro. As cisternas captam e armazenam água da chuva
Parceria entregou mais de 100 mil cisternas para moradores do semiárido

Últimas imagens

Inscrições para o programa foram prorrogadas até 3 de novembro. Para participar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único e ter mais de 15 anos
Inscrições para o programa foram prorrogadas até 3 de novembro. Para participar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único e ter mais de 15 anos
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Medida também vale para outros débitos relacionados ao veículo. Antes, apenas donos de veículos registrados no exterior contavam com esse recurso
Medida também vale para outros débitos relacionados ao veículo. Antes, apenas donos de veículos registrados no exterior contavam com esse recurso
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Verduras, legumes, frutas, carne de frango resfriada, bolachas, pães e doces serão comprados dos produtores e doados à rede socioassistencial no estado
Verduras, legumes, frutas, carne de frango resfriada, bolachas, pães e doces serão comprados dos produtores e doados à rede socioassistencial no estado
Foto: Eduardo Aigner/MDA
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Governos vão elaborar, no prazo de um ano, plano para garantir o acesso regular e permanente das populações a alimentos de qualidade
Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Governo digital