Cidadania e Justiça

Redução de mortes

Líderes de 120 países vão debater segurança no trânsito em Brasília

Conferência vai reunir 1,5 mil pessoas para discutir legislações, medidas de prevenção e experiências bem-sucedidas para reduzir mortes no trânsito
publicado: 16/11/2015 14h49, última modificação: 23/12/2017 11h16
Líderes de 120 países vão debater segurança no trânsito em Brasília

Líderes de 120 países vão discutir como reduzir as mortes e traumas causados por acidentes de trânsito - Foto: Foto: Marcelo Camargo/ABr

Líderes de governo de mais de 120 países começam a se reunir em Brasília, a partir desta segunda-feira (16), para discutir a redução de mortes e traumas causados por acidentes de trânsito, na 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito – Tempo de Resultados.

A conferência, que ocorre nos dias 18 e 19, vai reunir 1,5 mil pessoas para debater legislações, medidas de prevenção, atendimento pós-acidente e experiências bem-sucedidas em todo o mundo para alcançar a meta do Plano Global para a Década de Ações 2011-2020, de reduzir à metade as mortes no trânsito.

O evento é organizado por um comitê composto por oito ministérios, sob a coordenação do Ministério da Saúde, em parceria com Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e o Amigos da Década – grupo informal de países comprometido com o sucesso do plano global, cuja meta é salvar 5 milhões de vidas no planeta até 2020.

Ao fim da conferência, os países assumirão compromissos em torno da redução de mortes e lesões causadas pelo trânsito, que estarão definidos na Declaração de Brasília sobre Segurança no Trânsito.

Todos os anos, os acidentes de trânsito fazem cerca de 1,25 milhão de vitimas fatais, segundo o recém-lançado Relatório Global sobre a Situação da Segurança no Trânsito 2015, da Organização Mundial de Saúde.

Salvem as vidas das crianças

Nesta segunda-feira (16), em frente ao Congresso Nacional, 500 crianças de escolas do Distrito Federal representaram as 500 crianças que são diariamente vítimas fatais do trânsito em todo o mundo – segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A representação faz parte da campanha mundial #SaveKidsLives (salvem as vidas das crianças), liderada por crianças e coordenada pelo grupo Colaboração Global das Nações Unidas para a Segurança no Trânsito.

Em 2015, os acidentes de trânsito em rodovias federais deixaram 2.196 crianças, até 12 anos, feridas e 136 mortas. Considerando ilesos, feridos e mortos, foram 3,5 mil crianças envolvidas em acidentes. Os dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostram que 72,5% das crianças acidentadas estavam em automóvel e que 900 destes acidentes foram causados por falta de atenção.

Um dos mais importantes avanços na legislação brasileira de trânsito é a lei da cadeirinha, de 2010, que estabeleceu padrões de segurança para transporte de crianças menores de dez anos.

De acordo com a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), crianças nessa faixa etária devem viajar no banco traseiro usando cinto de segurança ou sistema de retenção equivalente – bebês de até um ano de vida têm que estar em bebê-conforto ou conversível, de um a quatro anos em cadeirinhas e de quatro a sete anos em assento de elevação. A não obediência ao dispositivo legal é considerada infração gravíssima e prevê multa de R$ 191,54, perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação e retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério das Cidades e do Ministério da Justiça

error while rendering plone.belowcontentbody.relateditems