Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2016 > 01 > Proteção de terras indígenas em RO e MT recebe R$ 8 milhões

Cidadania e Justiça

Proteção de terras indígenas em RO e MT recebe R$ 8 milhões

Corredor Etnoambiental Tupi-Mondé

BNDES aprovou a liberação de recursos do Fundo Amazônia para a Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé
por Portal Brasil publicado: 13/01/2016 19h42 última modificação: 20/01/2016 15h18
Foto: Funai Situadas no Corredor Etnoambiental Tupi-Mondé, entre Rondônia e Mato Grosso, as terras correspondem a uma área de 541 mil hectares

Situadas no Corredor Etnoambiental Tupi-Mondé, entre Rondônia e Mato Grosso, as terras correspondem a uma área de 541 mil hectares

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a liberação de R$ 8,2 milhões do Fundo Amazônia para a Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé implementar os Planos de Gestão Territorial e Ambiental (PGTAs) das Terras Indígenas (TIs) Igarapé Lourdes e Zoró. São terras indígenas que ficam entre Rondônia e Mato Grosso.

Situadas no Corredor Etnoambiental Tupi-Mondé, essas terras indígenas correspondem a uma área de 541 mil hectares, na qual vivem 1,5 mil indígenas de três etnias. As regiões sofrem constantes ameaças de invasores interessados em retirar madeira ou realizar atividades de pesca nos rios daquela área, e esta é uma das ameaças que serão enfrentadas com a concretização do plano.

Além da instalação de um sistema de vigilância territorial, serão realizadas ações para fortalecer cadeias de produção sustentável, que produzirão farinha de mandioca, banana e peixes, e a construção de um Centro de Referência Indígena, onde funcionará um "Museu da Memória" e uma "Maloca Digital". Esse Centro tem a finalidade de proporcionar uma infraestrutura de uso coletivo para fortalecimento da cultura indígena das comunidades.

Integridade

A Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé é uma Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) cuja missão é buscar a harmonia entre o elemento humano e a natureza, preservar a integridade dos povos indígenas e sua cultura e contribuir para o desenvolvimento ambiental sustentável. A associação atua em Rondônia, Mato Grosso, Amazonas e Pará.

As atividades da associação incluem, entre outras, a elaboração e o desenvolvimento de planos de gestão de terras indígenas e de manejo de florestas, de projetos de vigilância e fiscalização de terras indígenas e de parques nacionais, laudos de impacto ambiental, apoio à produção, educação ambiental, avaliações ecológicas, desenvolvimento de projetos de carbono e de políticas públicas.

Fonte:  BNDES

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Arquivo/EBC
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital