Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2016 > 11 > Campanha mundial pede o fim da violência contra as mulheres

Cidadania e Justiça

Campanha mundial pede o fim da violência contra as mulheres

16 dias de ativismo

Os 16 Dias de Ativismo deste ano têm o objetivo de alertar a sociedade sobre diversas formas de violência do cotidiano que podem desencadear para agressões mais severas contra mulheres
por Portal Brasil publicado: 25/11/2016 09h15 última modificação: 28/11/2016 11h48
Reprodução: Portal Brasil A campanha deste ano pretende alertar a população para atitudes que levam ao desrespeito às mulheres

A campanha deste ano pretende alertar a população para atitudes que levam ao desrespeito às mulheres

A luta pelo fim da violência contra as mulheres deve ser diária e abordada em todos os setores da sociedade. Desde 2003, o Brasil participa da campanha mundial “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”. Neste ano, o tema da campanha “Machismo. Já passou da hora” faz um alerta sobre pequenas atitudes do cotidiano que levam ao desrespeito à mulher. O governo federal pretende levantar o debate e a reflexão para diferentes formas de agressões e contextos que podem desencadear violências mais graves contra as mulheres.

No Brasil, a Campanha dos 16 Dias se inicia em 25 de novembro e termina em 10 de Dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

No 1º semestre de 2016, a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 realizou 555.634 atendimentos. Foram, em média, 92.605 atendimentos por mês. Entre os 2.921 relatos de violência sexual, 84,12% estão relacionados ao estupro. Durante a campanha, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), visando prevenir esses e outros tipos de violência, realizará palestras, debates e eventos com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o problema.

Programação

Durante a cerimônia, no dia 25, a ONU Mulheres fará o anúncio dos vencedores do Concurso de vídeos de 1 minuto “O Valente não é violento”, destinado a estudantes de ensino médio e profissionais de audiovisual. Também fará a exibição do documentário “Vamos falar com os Homens”, realizado em parceria com a ONG Papo de Homem.

Ao longo dos 16 dias serão trabalhadas peças nas redes sociais que irão explicar contextos de violência sexual, como o que chamamos de pornografia de vingança (distribuição de imagens íntimas na internet sem autorização, após o fim de um relacionamento), o não é não, o assédio sexual no ambiente de trabalho, a violência sexual conjugal, entre outros.

Além das peças publicitárias, os prédios públicos também serão iluminados com a cor laranja, que simboliza as mobilizações em mais de 160 países.

Ativismo  Cerca de 160 países participam desta campanha. No Brasil, ela acontece desde 2003, por meio de ações de mobilização e informações sobre o tema.

Os 16 Dias de Ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como Las Mariposas, assassinadas em 1961 por integrarem a oposição ao regime do ditador Rafael Trujillo, na República Dominicana.

O período da campanha lembrará ainda outras datas marcantes: 

25 de novembro  Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres

1º de dezembro  Dia Mundial de Combate à Aids

6 de dezembro  Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, também conhecido como o Dia do Laço Branco

10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos

Campanha 16 dias

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

O título da terra facilita acesso de agricultores à política pública, diz Roseno
Para José Ricardo Roseno, Secretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, a questão fundiária é um grande gargalo para acesso à política pública aos agricultores familiares
Ministério do Trabalho lança programa Aprendiz na Medida
Lançado nesta segunda-feira (16), no Rio de Janeiro, o programa Aprendiz na Medida vai oferecer trabalho com carteira assinada e qualificação profissional a jovens que cumprem medida socioeducativa
Dados do CPF podem ser atualizados pela internet
Já está disponível o serviço que permite a atualização de dados cadastrais no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no site da Receita Federal
Para José Ricardo Roseno, Secretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, a questão fundiária é um grande gargalo para acesso à política pública aos agricultores familiares
O título da terra facilita acesso de agricultores à política pública, diz Roseno
Lançado nesta segunda-feira (16), no Rio de Janeiro, o programa Aprendiz na Medida vai oferecer trabalho com carteira assinada e qualificação profissional a jovens que cumprem medida socioeducativa
Ministério do Trabalho lança programa Aprendiz na Medida
Já está disponível o serviço que permite a atualização de dados cadastrais no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no site da Receita Federal
Dados do CPF podem ser atualizados pela internet

Últimas imagens

Vítimas de intolerância registrada são, em sua maioria, praticantes de religiões de matriz africana
Vítimas de intolerância registrada são, em sua maioria, praticantes de religiões de matriz africana
Divulgação/Prefeitura de Arari (MA)
Campanha abrange cerca de 9,7 mil notebooks, fabricados entre 12 de abril e 14 de novembro de 2014
Campanha abrange cerca de 9,7 mil notebooks, fabricados entre 12 de abril e 14 de novembro de 2014
Divulgação/Governo do Amazonas
A certificação reconhece que a população e a área que ocupam têm relação com os antigos quilombos
A certificação reconhece que a população e a área que ocupam têm relação com os antigos quilombos
Foto: Rômulo Serpa/MDA
Obras de literatura serão doadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
Obras de literatura serão doadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
Divulgação/STF
Para que o CCIR seja validado, o titular deve efetuar o pagamento da taxa de serviço cadastral no BB
Para que o CCIR seja validado, o titular deve efetuar o pagamento da taxa de serviço cadastral no BB
Paulo Ernani Peres Ferreira/Embrapa

Governo digital