Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2016 > 11 > Campanha mundial pede o fim da violência contra as mulheres

Cidadania e Justiça

Campanha mundial pede o fim da violência contra as mulheres

16 dias de ativismo

Os 16 Dias de Ativismo deste ano têm o objetivo de alertar a sociedade sobre diversas formas de violência do cotidiano que podem desencadear para agressões mais severas contra mulheres
por Portal Brasil publicado: 25/11/2016 09h15 última modificação: 28/11/2016 11h48
Reprodução: Portal Brasil A campanha deste ano pretende alertar a população para atitudes que levam ao desrespeito às mulheres

A campanha deste ano pretende alertar a população para atitudes que levam ao desrespeito às mulheres

A luta pelo fim da violência contra as mulheres deve ser diária e abordada em todos os setores da sociedade. Desde 2003, o Brasil participa da campanha mundial “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”. Neste ano, o tema da campanha “Machismo. Já passou da hora” faz um alerta sobre pequenas atitudes do cotidiano que levam ao desrespeito à mulher. O governo federal pretende levantar o debate e a reflexão para diferentes formas de agressões e contextos que podem desencadear violências mais graves contra as mulheres.

No Brasil, a Campanha dos 16 Dias se inicia em 25 de novembro e termina em 10 de Dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

No 1º semestre de 2016, a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 realizou 555.634 atendimentos. Foram, em média, 92.605 atendimentos por mês. Entre os 2.921 relatos de violência sexual, 84,12% estão relacionados ao estupro. Durante a campanha, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), visando prevenir esses e outros tipos de violência, realizará palestras, debates e eventos com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o problema.

Programação

Durante a cerimônia, no dia 25, a ONU Mulheres fará o anúncio dos vencedores do Concurso de vídeos de 1 minuto “O Valente não é violento”, destinado a estudantes de ensino médio e profissionais de audiovisual. Também fará a exibição do documentário “Vamos falar com os Homens”, realizado em parceria com a ONG Papo de Homem.

Ao longo dos 16 dias serão trabalhadas peças nas redes sociais que irão explicar contextos de violência sexual, como o que chamamos de pornografia de vingança (distribuição de imagens íntimas na internet sem autorização, após o fim de um relacionamento), o não é não, o assédio sexual no ambiente de trabalho, a violência sexual conjugal, entre outros.

Além das peças publicitárias, os prédios públicos também serão iluminados com a cor laranja, que simboliza as mobilizações em mais de 160 países.

Ativismo  Cerca de 160 países participam desta campanha. No Brasil, ela acontece desde 2003, por meio de ações de mobilização e informações sobre o tema.

Os 16 Dias de Ativismo começaram em 1991, quando mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), iniciaram uma campanha com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. A data é uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como Las Mariposas, assassinadas em 1961 por integrarem a oposição ao regime do ditador Rafael Trujillo, na República Dominicana.

O período da campanha lembrará ainda outras datas marcantes: 

25 de novembro  Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres

1º de dezembro  Dia Mundial de Combate à Aids

6 de dezembro  Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, também conhecido como o Dia do Laço Branco

10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos

Campanha 16 dias

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Agricultores buscam Programa de Aquisição de Alimentos
Para facilitar a venda dos produtos, o município de Monteiro (PB) buscou ajuda do Programa de Aquisição de Alimentos do governo federal
Conheça a atuação do Ministério dos Direitos Humanos
Principal função da pasta, de acordo com a ministra Luislinda Valois, é cuidar de todo o cidadão desde o nascimento até o seu último dia de vida
Sistema de cotas pode garatir mais negros nos espaços de poder
Ministra dos Direitos Humanos, Louislinda Valois, defende mais espaço para negros na diplomacia e nos tribunais brasileiros
Para facilitar a venda dos produtos, o município de Monteiro (PB) buscou ajuda do Programa de Aquisição de Alimentos do governo federal
Agricultores buscam Programa de Aquisição de Alimentos
Principal função da pasta, de acordo com a ministra Luislinda Valois, é cuidar de todo o cidadão desde o nascimento até o seu último dia de vida
Conheça a atuação do Ministério dos Direitos Humanos
Ministra dos Direitos Humanos, Louislinda Valois, defende mais espaço para negros na diplomacia e nos tribunais brasileiros
Sistema de cotas pode garatir mais negros nos espaços de poder

Últimas imagens

São oferecidas 20 vagas para estudantes de diversas áreas
São oferecidas 20 vagas para estudantes de diversas áreas
Divulgação/MJSP
Informações são fundamentais para aperfeiçoar o atendimento à população
Informações são fundamentais para aperfeiçoar o atendimento à população
Patrick Grosner/MDSA
Ao todo, 11 projetos de comunidades indígenas foram contratados
Ao todo, 11 projetos de comunidades indígenas foram contratados
Divulgação/Prefeitura de Japorã (MS)
Prazo para atualizar as informações será informado por mensagem no extrato de pagamento dos benefícios
Prazo para atualizar as informações será informado por mensagem no extrato de pagamento dos benefícios
Foto: Ubirajara Machado/MDSA
O recall, com início de atendimento em 10 de abril de 2017, abrange 178 veículos importados
O recall, com início de atendimento em 10 de abril de 2017, abrange 178 veículos importados
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Governo digital