Você está aqui: Página Inicial > Cidadania e Justiça > 2017 > 05 > Conselho Nacional de Assistência Social autoriza expansão do Criança Feliz

Cidadania e Justiça

Conselho Nacional de Assistência Social autoriza expansão do Criança Feliz

Primeira Infância

Em todo o País, 2.547 municípios já participam do programa federal
por Portal Brasil publicado: 19/05/2017 19h45 última modificação: 22/05/2017 19h52
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos

A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos

O Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) autorizou, nesta sexta-feira (19), a expansão da Programa Criança Feliz, com a adesão de novos municípios. O processo será gradual e deverá atender à disponibilidade orçamentária, informa o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. 

A diretora de Proteção Social Básica do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Renata Ferreira, defendeu o interesse dos municípios que perderam o prazo e querem aderir ao programa. “A aprovação do conselho de universalizar a cobertura do Criança Feliz vai possibilitar que municípios de grande porte sejam inseridos no programa”, destacou. A primeira etapa de adesão foi encerrada em fevereiro deste ano. 

Para a conselheira do CNAS e representante do Fórum Nacional dos Secretários de Estado da Assistência Social (Fonseas), Célia Melo, a expansão vem atender à solicitação dos municípios e estados. “Os próprios gestores municipais e estaduais estavam reivindicando essa ampliação, tendo em vista a quantidade de crianças neste ciclo de vida nos municípios.”

Primeira infância 

Em todo o País, 2.547 municípios já participam do Criança Feliz. Coordenado pela pasta, o programa vai promover o desenvolvimento integral infantil. A iniciativa prioriza as crianças de 0 a 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O programa orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos. A ciência demonstra que o período que vai da gestação até os três anos de idade é o mais importante para o desenvolvimento humano. Crianças bem cuidadas nesta fase são mais inteligentes, chegam à escola com melhores condições de aprendizado, estudam mais, são menos violentas e têm mais chances de vencer o clico da pobreza.

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa Criança Feliz
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Programa Criança Feliz
Programa Criança Feliz
Locais oferecem apoio a brasileiros em situação de risco, com serviços relacionados a concessões de benefícios sociais, auxílio psicológico e diversas atividades
Brasil tem mais de 8,2 mil Centros de Referência de Assistência Social
Os CEUs contam com atividades educativas e culturais, além permitir acesso a programas sociais dos municípios e do governo federal
Em 2017, 70 Centros de Arte e Esporte serão inagurados

Últimas imagens

A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
A ação orientará as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos
Divulgação/Governo de Mato Grosso do Sul
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Peritos revisaram 126,2 mil benefícios de segurados que não passavam por avaliação médica há mais de dois anos
Arquivo/EBC
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
A maior parte das denúncias é referente aos crimes de abuso sexual (72%) e exploração sexual (20%)
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital