Cidadania e Justiça

#AgoraBrasil

Pente-fino em programas sociais geram economia para o País

Benefícios pagos pelo INSS, Bolsa Família e o seguro-desemprego foram alvo de ações para reduzir desperdícios
publicado: 11/05/2017 17h16, última modificação: 23/12/2017 11h22
Pente-fino em programas sociais geram economia

- Foto: Arquivo/Agência Brasil

Além de reduzirem desperdícios, as medidas de combate à corrupção adotadas ao longo do primeiro ano do governo do presidente Michel Temer garantiram que os benefícios sociais fossem pagos a quem realmente precisa. A revisão ocorreu em benefícios como auxílio-doença, Bolsa Família e o seguro-desemprego. 

 INSS

Uma força-tarefa do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) analisou 108.643 auxílios-doença e cancelou 43 mil benefícios, entre outubro de 2016 e fevereiro deste ano, que eram repassados indevidamente. Com a medida, o governo economizou R$ 715,4 milhões.

A expectativa é de que, até o fim da perícia nos benefícios, R$ 7 bilhões serão economizados, pois a metade dos beneficiários do auxílio-doença ainda passará pela avaliação e serão convocados os aposentados por invalidez.

Além disso, o governo conseguiu desmontar esquemas de desvio na Previdência que permitiram economizar R$ 284,9 milhões. Apenas no ano passado, 45 operações foram realizadas para garantir o bom uso do dinheiro público.

Bolsa Família

Para dar mais eficiência ao programa, o governo começou a executar o sistema de cruzamento de dados dos cadastrados em órgãos públicos para evitar fraudes.

Com a fiscalização, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário encontrou inconsistências em 1,1 milhão dos 13,9 milhões de beneficiários do Bolsa Família. Desse total, 469 mil (3,3%) foram cancelados e 654 mil (4,7%) acabaram bloqueados. Em todos os casos, foi constatado que a renda das famílias era superior à exigida para ingresso e permanência no programa.

Aos que estavam em situação regular, foi concedido um reajuste de 12,5% no valor médio dos repasses.

Seguro-desemprego

Desde dezembro de 2016, o Ministério do Trabalho vem utilizando uma tecnologia antifraude para evitar pagamentos indevidos. Assim, é uma forma de garantir esse direito trabalhista que protege o trabalhador.

O sistema aumenta a capacidade de identificação de requerimentos fraudulentos do benefício e bloqueia os pagamentos. Mais de R$ 54 milhões já foram bloqueados em todo o País. A expectativa é de que neste ano a economia chegue a R$ 1,3 bilhão.

A plataforma cruza as informações que constam em bancos de dados de órgãos federais. Todo o requerimento é acompanhado digitalmente a partir do CPF do trabalhador.

[AGORABRASIL] O Brasil está mudando agora

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria de Previdência e MDSA