Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2010 > 10 > Portadores de necessidades especiais participam da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Ciência e Tecnologia

Portadores de necessidades especiais participam da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

por Portal Brasil publicado: 18/10/2010 11h48 última modificação: 28/07/2014 09h13
Divulgação/Casa Civil do Ceará Durante as atividades os visitantes poderão tocar no peixe-boi e comparar os ossos do animal com os do próprio corpo

Durante as atividades os visitantes poderão tocar no peixe-boi e comparar os ossos do animal com os do próprio corpo

Por meio de atividades lúdicas, os participantes da 7ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia  conhecerão a biologia do peixe-boi (Trichechus inunguis) e da ariranha(Pteronura brasiliensis), animais ameaçados de extinção, conforme dados da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (UICN).

Na ocasião, serão montadas pelos amigos do peixe-boi, no Parque aquático Robin C. Best, estações do conhecimento, nas quais os visitantes poderão apreciar as peculiaridades dos animais e entender qual a importância dessas espécies para o equilíbrio do ecossistema.

O diferencial desta atividade é que nessa edição dois grupos de vinte pessoas portadoras de necessidades especiais participarão do evento. As atividades serão realizadas nestas segunda (18) e terça-feira (19).

Durante as visitas, os participantes tocarão em vários bonecos de peixe-boi de diferentes materiais (madeira, pano, etc.). Em seguida, passarão a mão em um filhote e também em uma mamadeira utilizada para alimentar os animais órfãos. Além disso, visitarão a Estação do Conhecimento sobre os ossos do peixe-boi, uma atividade interativa, na qual os estudantes poderão apreciar as peculiaridades dos animais, por meio de seus ossos, fazendo analogia do osso do peixe-boi com o seu próprio osso.


Semana de Ciência e Tecnologia

O tema de 2010 é “Ciência para o Desenvolvimento Sustentável” e tem por símbolo a sumaúma ou samaúma, árvore de grande porte da Amazônia considerada “mãe-das-árvores” pelos indígenas. A 7ª edição da Semana tem o objetivo de mobilizar a população, em especial os jovens, a se envolver com assuntos e atividades em torno da ciência e da tecnologia. Para tanto, são utilizadas visitações em instituições de pesquisa e ensino, jornadas de iniciação científica, tendas da ciência em praças públicas, concursos, oficinas, palestras, feiras de ciências, dentre outros.


Fonte:
Ministério da Ciência e Tecnologia

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
Confira a programação
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Confira a programação
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma

Últimas imagens

Central de atendimento telefônico da Anatel funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, no número 1331
Central de atendimento telefônico da Anatel funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, no número 1331
Arquivo/Agência Brasil
Fenômeno vai ocorrer entre 10h e 12h deste domingo (26)
Fenômeno vai ocorrer entre 10h e 12h deste domingo (26)
Divulgaçao/MCTIC
Para funcionar, a Internet das Coisas precisa de sensores, para compilar os dados das atividades ou aplicações
Para funcionar, a Internet das Coisas precisa de sensores, para compilar os dados das atividades ou aplicações
Foto: Hedeson Alves/Governo do Paraná
As informações coletadas farão parte do SiBBr e do Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira
As informações coletadas farão parte do SiBBr e do Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira
Divulgação/Inpa
Estudos sobre a planta se desenvolvem há sete anos
Estudos sobre a planta se desenvolvem há sete anos
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital