Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2014 > 02 > Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica recebe inscrições

Ciência e Tecnologia

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica recebe inscrições

Evento científico

Podem participar estudantes matriculados em qualquer ano do ensino fundamental ou médio, de escolas públicas e particulares
por Portal Brasil publicado: 06/02/2014 15h54 última modificação: 30/07/2014 01h34
Divulgação/AEB Instituições de ensino que não participaram de edições anteriores podem se inscrever pelo site da OBA

Instituições de ensino que não participaram de edições anteriores podem se inscrever pelo site da OBA

A 17ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) vai acontecer no dia 16 de maio e as inscrições para escolas ainda não participantes já estão abertas. Os alunos mais bem classificados vão poder participar de eventos científicos como as olimpíadas internacional e latino-americana da área, além das jornadas Espacial e de Foguetes e do Space Camp.

Podem participar da OBA estudantes que estejam em qualquer ano do ensino fundamental ou médio matriculados em escolas públicas e particulares. As instituições de ensino que não participaram de edições anteriores podem se inscrever pelo site da olimpíada ou por meio das fichas de cadastros enviadas a todas as escolas. O prazo vai até 16 de março e as provas acontecem em fase única nas próprias escolas.

A olimpíada é dividida em quatro níveis. Os três primeiros são para alunos do fundamental, e o quarto, para o ensino médio. As medalhas serão distribuídas conforme a pontuação obtida na prova, separadas pelos respectivos níveis. Ao todo, são distribuídas 33 mil medalhas, ou seja, cerca de 4% dos alunos recebem medalhas.

O exame é constituído de dez perguntas – sete de astronomia e três de astronáutica. A maioria das questões é de raciocínio lógico. De acordo com o astrônomo João Batista Garcia Canalle, coordenador nacional da OBA, o objetivo da olimpíada é levar a maior quantidade de informações sobre ciências espaciais para a sala de aula, além de despertar o interesse nos jovens por essas disciplinas.

Sem rivalidade

Canalle ressalta que a iniciativa não tem intenção de criar rivalidade entre escolas ou promover competição entre cidades ou estados: “Queremos promover a disseminação dos conhecimentos básicos de forma lúdica e cooperativa entre professores e alunos, além de mantê-los atualizados”.

Os estudantes com melhor classificação, neste ano, vão integrar as equipes para representar o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2015. Os participantes da edição vão concorrer também a vagas nas jornadas espaciais e no Space Camp. Os alunos recebem, nesses encontros, material didático e assistem a palestras de especialistas.

Até hoje, a OBA conta com quase 6 milhões de participantes. Em 2013, a olimpíada distribuiu 34 mil medalhas e reuniu 775 mil alunos de aproximadamente 9 mil escolas de todas as regiões do Brasil, envolvendo quase 63 mil professores . “Nossa expectativa, este ano, é ultrapassar a marca de 1 milhão de participantes”, comenta Canalle.

A OBA é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI).

Fonte:
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Lei Geral de Telecomunicações precisa ser renovada, diz secretário
O novo secretário de Telecomunicações do MCTIC, André Borges, espera contribuir para a atualização das regras do setor
O papel da ciência na formação de uma sociedade sustentável
o programa Conexão Ciência entrevista o pesquisador Judson Valentim, da Embrapa Acre
Ciência ganha com as Comunicações, defende ministro
Existe uma sinergia entre as ações e programas dos dois ministérios, defende o ministro Gilberto Kassab
O novo secretário de Telecomunicações do MCTIC, André Borges, espera contribuir para a atualização das regras do setor
Lei Geral de Telecomunicações precisa ser renovada, diz secretário
o programa Conexão Ciência entrevista o pesquisador Judson Valentim, da Embrapa Acre
O papel da ciência na formação de uma sociedade sustentável
Existe uma sinergia entre as ações e programas dos dois ministérios, defende o ministro Gilberto Kassab
Ciência ganha com as Comunicações, defende ministro

Últimas imagens

A Internet do Futuro busca soluções para desafios como gerenciamento, mobilidade e segurança
A Internet do Futuro busca soluções para desafios como gerenciamento, mobilidade e segurança
Divulgação/RNP
O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) vai receber o maior montante: R$ 16,5 milhões
O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) vai receber o maior montante: R$ 16,5 milhões
Foto: Divulgação/CNPEM
A banda larga fixa é prestada com a utilização de diferentes tecnologias
A banda larga fixa é prestada com a utilização de diferentes tecnologias
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Método pode ser usado para detectar e eliminar vírus em bolsas de sangue antes de transfusões
Método pode ser usado para detectar e eliminar vírus em bolsas de sangue antes de transfusões
Divulgação/MCTIC
Recursos devem ser aplicados em pesquisas de instituto ligado ao Minsitério da Ciência e Tecnologia ainda neste ano
Recursos devem ser aplicados em pesquisas de instituto ligado ao Minsitério da Ciência e Tecnologia ainda neste ano
Marcello Casal/ Agência Brasil

Governo digital