Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2014 > 04 > Programa Inova Petro recebe propostas até 24 de abril

Ciência e Tecnologia

Programa Inova Petro recebe propostas até 24 de abril

Inovação

Editais disponibilizam R$ 3 bilhões para projetos inovadores no âmbito da cadeia produtiva do petróleo e gás natural
por Portal Brasil publicado: 16/04/2014 10h27 última modificação: 30/07/2014 01h38

O prazo para envio das cartas de manifestação referentes ao segundo edital do Inova Petro segue até o dia 24 de abril.  Serão selecionados planos de negócios de empresas em quatro linhas temáticas: Processamento de Superfície, Instalações Submarinas, Poços e Reservatórios.

O programa completo (somados todos os editais) tem valor de R$ 3 bilhões. O primeiro edital do programa aprovou 11 planos de negócios. totalizando R$ 380 milhões. Seis deles, que somam R$ 252 milhões, estão em fase de contratação.  Dos R$ 3 bilhões colocados à disposição para fomentar projetos na área de inovação, R$ 2,7 bilhões ainda estão disponíveis.

Workshops

Nos dias 6 e 8 de abril, o Departamento de Petróleo, Gás e Indústria Naval da Finep promoveu, em conjunto com o BNDES, Petrobras e Onip, dois eventos sobre o Inova Petro: um workshop na Federação das Indústrias do Estado de MG (FIEMG), e um encontro na Federação das Indústrias do Estado de SP (Fiesp).

Veja também a matéria publicada no jornal Valor Econômico, com destaque para investimentos no setor de petróleo e gás.

Sobre o Inova Petro

O Programa Inova Petro é uma iniciativa conjunta da  Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o apoio técnico da Petrobras. Contempla projetos de pesquisa, desenvolvimento, engenharia, absorção tecnológica, produção e comercialização de produtos, processos e/ou serviços inovadores.

O programa busca promover o desenvolvimento de fornecedores brasileiros para a cadeia produtiva da indústria de petróleo e gás natural. Espera-se, também, que contribua para a política de aumento de conteúdo local e para a competitividade e sustentabilidade da cadeia de fornecedores nacional.

Fonte:
Financiadora de Estudos e Projetos

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência

Últimas imagens

Recursos serão distribuídos pelo CNPq
Recursos serão distribuídos pelo CNPq
Arquivo/Agência Brasil
MCTIC encaminhou R$ 34,7 milhões a projetos de pesquisa até o momento
MCTIC encaminhou R$ 34,7 milhões a projetos de pesquisa até o momento
Arquivo/ Agência Brasil
Estudo sobre novas espécies pretende impulsionar geração de novos produtos
Estudo sobre novas espécies pretende impulsionar geração de novos produtos
Arquivo/Agência Brasil
Podem participar estudantes do ensino médio, técnico ou superior; e egressos formados há menos de três anos
Podem participar estudantes do ensino médio, técnico ou superior; e egressos formados há menos de três anos
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital