Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2014 > 06 > Radar vai monitorar fenômenos naturais em quatro estados

Ciência e Tecnologia

Radar vai monitorar fenômenos naturais em quatro estados

Gestão de riscos

Equipamento instalado em Maceió irá auxiliar especialistas nos estudos do clima, antecipando as previsões de chuvas e estiagens
por Portal Brasil publicado: 05/06/2014 12h22 última modificação: 30/07/2014 01h40

Foi inaugurado em Maceió (AL), o sexto equipamento para monitoramento de fenômenos naturais do projeto Radares Meteorológicos, do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI). O radar tem capacidade técnica de monitorar o território de quatro estados do Nordeste – Alagoas, Sergipe, Pernambuco e a região do norte da Bahia.

O equipamento, instalado no campus universitário da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), vai auxiliar especialistas nos estudos do clima, antecipando as previsões de chuvas e estiagens, e consequentemente, as informações que envolvem questões de desastres ambientais.

O coordenador do projeto Radares Meteorológicos, Carlos Frederico de Angelis, explicou que a unidade implantada em Alagoas possui tecnologia e sensibilidade para levantar dados elaborados sobre chuvas ao longo de um raio de 400 quilômetros (km), com abrangência de 800 km de diâmetro. Segundo Angelis, o equipamento, avaliado em R$ 8 milhões, tem a capacidade de antecipar os fatos provocados por fenômenos naturais entre seis e duas horas.

“O projeto prevê no Brasil a implantação de nove radares deste porte, formando uma rede com profissionais especializados que serão capazes de monitorar o deslocamento das nuvens e antecipar dados que contribuirão tanto para salvaguarda da população como para o planejamento da agricultura”, pontuou o representante do Cemaden.

“Se o impacto de um desastre natural para o agronegócio é prejudicial, para a população e os pequenos produtores ele é ainda maior. Por isso, a função desta rede é absorver e repassar informações para prevenir e evitar perdas, tanto na produção da atividade rural como de vidas.”

“O equipamento que foi implantado em Alagoas é um dos mais modernos do País”, expôs o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre. “Ele integra o Plano de Gestão de Riscos [e Resposta a Desastres Naturais] do governo federal e faz parte de uma rede de monitoramento meteorológica que tem como objetivo reduzir os impactos dos desastres naturais.”

A cerimônia de lançamento, realizada nesta quarta-feira (4), contou com a presença de gestores dos governos federal, estadual e municipal, além de pesquisadores e estudantes da Ufal, e representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

>> Leia a matéria completa.

Fonte:
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pesquisadores desenvolvem inovação para produção de etanol
Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Estados Unidos conseguem importante avanço para a produção de etanol de segunda geração
Kassab fala sobre o decreto que impulsionará a ciência no País
Durante o programa Por dentro do Governo, o ministro Gilberto Kassab falou sobre decreto que vai dar retaguarda e impulsionar a ciência no Brasil
Espírito Santo e Rio de Janeiro terão sinal analógico desligado
Com mudança, mais telespectadores terão acesso ao sinal digital, com imagem e som de melhor qualidade
Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Estados Unidos conseguem importante avanço para a produção de etanol de segunda geração
Pesquisadores desenvolvem inovação para produção de etanol
Durante o programa Por dentro do Governo, o ministro Gilberto Kassab falou sobre decreto que vai dar retaguarda e impulsionar a ciência no Brasil
Kassab fala sobre o decreto que impulsionará a ciência no País
Com mudança, mais telespectadores terão acesso ao sinal digital, com imagem e som de melhor qualidade
Espírito Santo e Rio de Janeiro terão sinal analógico desligado

Governo digital