Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2015 > 04 > Aceleradora do Start-Up Brasil firma acordo com grupo de empresas

Ciência e Tecnologia

Aceleradora do Start-Up Brasil firma acordo com grupo de empresas

Empreendedorismo

Parceria entre Techmall e Fundep visa ampliar o desenvolvimento e investimento de empresas de aporte tecnológico
por Portal Brasil publicado: 01/04/2015 17h52 última modificação: 01/04/2015 17h52

O Techmall firmou com a Fundep Participações S.A. (Fundepar) uma parceria para ampliar a aceleração do desenvolvimento de empresas de base tecnológica. Segundo o programa Start-Up Brasil, a aceleradora, que integra a iniciativa do governo federal, é uma das dez melhores do País e possui 13 startups em seu portfólio.

A expectativa da parceria celebrada nesta terça-feira (31), é a obtenção de um braço de atuação que antecede a cadeia de investimentos, a fim de que as empresas se estruturem, preparando-se para um grau de maturidade que possibilite o aporte de novos recursos. A Fundepar é um programa de investimento para startups oriundas de iniciativas realizadas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

De acordo o StartupBrasil, a iniciativa é a oportunidade de expansão do escopo de trabalho da Fundepar, que, em sua essência, disponibiliza aporte financeiro em projetos de professores e pesquisadores na área de inovação na UFMG.

Sobre o programa

O Start-Up Brasil, Programa Nacional de Aceleração de Startups, é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, com gestão operacional da Softex em parceria com aceleradoras, que visa apoiar empresas nascentes de base tecnológica, as chamadas startups. Leia mais sobre o funcionamento do programa

O programa tem, ainda, parcerias com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), para seleção de startups internacionais e espaço físico no Vale do Silício (Estados Unidos), e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), para seleção de startups nacionais.

Duração

O Start-Up Brasil funciona por edições, com duração de um ano, e realiza duas chamadas públicas, uma para qualificar e habilitar aceleradoras e outra para a seleção de projetos startups, com duas rodadas semestrais.

Durante o ano, as startups selecionadas participam de eventos, recebem acompanhamento e tem a possibilidade de participar do Demo Day nacional ou internacional promovido pelo programa.

O Start-Up Brasil integra o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação TI (TI Maior), que, por sua vez, é uma das ações da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (Encti), que elege as tecnologias de informação e comunicação (TICs) entre os programas prioritários para impulsionar a economia brasileira e tem importantes players do setor como parceiros do programa.

Fontes:
Portal Brasil com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e StartUp Brasil 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência

Últimas imagens

Recursos serão distribuídos pelo CNPq
Recursos serão distribuídos pelo CNPq
Arquivo/Agência Brasil
MCTIC encaminhou R$ 34,7 milhões a projetos de pesquisa até o momento
MCTIC encaminhou R$ 34,7 milhões a projetos de pesquisa até o momento
Arquivo/ Agência Brasil
Estudo sobre novas espécies pretende impulsionar geração de novos produtos
Estudo sobre novas espécies pretende impulsionar geração de novos produtos
Arquivo/Agência Brasil
Podem participar estudantes do ensino médio, técnico ou superior; e egressos formados há menos de três anos
Podem participar estudantes do ensino médio, técnico ou superior; e egressos formados há menos de três anos
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital