Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2015 > 12 > Cientistas brasileiros participam de projeto internacional de astronomia

Ciência e Tecnologia

Cientistas brasileiros participam de projeto internacional de astronomia

LSST

Com investimento de R$ 1 bilhão, supertelescópio é considerado revolucionário para a astronomia
por Portal Brasil publicado: 16/12/2015 14h00 última modificação: 16/12/2015 16h49
Divulgação O LSST é um telescópio em construção em Cerro Pachón, no Chile, com previsão para entrar em operação em 2022

O LSST é um telescópio em construção em Cerro Pachón, no Chile, com previsão para entrar em operação em 2022

Um acordo firmado entre o Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA), o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a an Academic Network at São Paulo (ANSP) vai permitir a participação de pesquisadores brasileiros no projeto Large Synoptic Survey Telescope (LSST). Ao término de dez anos, o levantamento terá informações sobre 37 bilhões de estrelas e galáxias, explorando um volume de espaço sem precedentes e gerando 100 petabytes (PB) de produtos.

Para atingir o petabyte (PB), são necessários 1.024 terabytes. Há estimativas de que 50 petabytes é tudo que a humanidade escreveu na história em todas as línguas.

O Memorando de Entendimento assinado em setembro de 2015 pelas instituições prevê investimentos em conexões de fibra óptica, ampliando a ligação entre a América do Sul e a América do Norte. Além disso, um grupo de 50 pesquisadores brasileiros participará do projeto, considerado revolucionário para a astronomia.

Visão dinâmica do Universo

O LSST é um telescópio em construção em Cerro Pachón, no Chile, com previsão para entrar em operação em 2022. Somando R$ 1 bilhão em investimentos, o LSST terá capacidade para fazer o mapeamento de quase metade do céu em cinco filtros por um período de dez anos.

O telescópio, com 8,4m de diâmetro, cobre um campo de quase dez graus quadrados, podendo mapear toda a região do céu ao qual tem acesso em apenas algumas noites. Sua câmera consiste em um mosaico de CCDs com 3,2 bilhões de pixels, e cada exposição cobre uma área correspondente a 40 vezes o tamanho da Lua cheia.

A cada noite serão acumulados 15 terabytes (TB) de dados, os quais devem ser transmitidos para diferentes centros para redução e análise, inclusive no Brasil. O sistema fornecerá aos astrônomos uma visão dinâmica do Universo, onde variações de posição ou fluxo de objetos celestes serão registrados em intervalos de poucas noites.

A estimativa é que o LSST gere 10 milhões de alertas destas variações a cada noite. Estas variações serão classificadas e os casos mais interessantes serão observados em outros telescópios para análise mais detalhada.

Com os dados do LSST, os cientistas vão explorar o sistema solar, estudar a estrutura de nossa galáxia e a formação e evolução de estruturas do Universo, além de determinar as propriedades da matéria e energia escura que permeiam o Universo, sendo a energia responsável pela expansão acelerada do Universo.

Fonte: Portal Brasil com informações do MCTI

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência

Últimas imagens

Banco Internacional de Objetos Educacionais ajuda professores a disseminar conhecimento
Banco Internacional de Objetos Educacionais ajuda professores a disseminar conhecimento
Arquivo/Agência Brasil
Em nove anos, Brasil já ganhou 45 medalhas
Em nove anos, Brasil já ganhou 45 medalhas
Arquivo/Agência Brasil
Mais de 60 mil pessoas já baixaram o aplicativo para receber alertas de chuvas
Mais de 60 mil pessoas já baixaram o aplicativo para receber alertas de chuvas
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital