Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2016 > 02 > Agência Espacial Brasileira completa 22 anos

Ciência e Tecnologia

Agência Espacial Brasileira completa 22 anos

AEB

Desde 1994, a AEB é responsável por formular e coordenar a política espacial do País
por Portal Brasil publicado: 11/02/2016 11h30 última modificação: 12/02/2016 17h02
EBC De acordo com o presidente da AEB, o País está engajado no desenvolvimento do sexto satélite CBers, em parceria com a China

De acordo com o presidente da AEB, o País está engajado no desenvolvimento do sexto satélite CBers, em parceria com a China

A Agência Espacial Brasileira (AEB) completou 22 anos nesta quarta-feira (10). Desde 1994, a AEB é responsável por formular e coordenar a política espacial do País. A agência é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Além de colocar satélites de comunicação na órbita terrestre, a agência tem priorizado investimentos em coleta de dados para fins ambientais e hidrometeorológicos. Por meio dessa tecnologia, o Brasil será capaz de fornecer ferramentas para que pesquisadores possam estudar mais sobre desastres naturais, chuvas, umidade do ar e, inclusive, investigar a migração e a incidência de determinados mosquitos, como por exemplo, o Aedes aegypti, causador da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

Outra frente de trabalho da AEB concentra-se na capacitação e na formação de profissionais qualificados. Em 2015, a agência alcançou importantes resultados com programa voltado ao desenvolvimento e lançamento de satélites de pequeno porte em conjunto com universidades nacionais e do exterior.

"A AEB está totalmente envolvida na formação de recursos humanos", garante  o presidente da agência, José Raimundo Braga Coelho. "Temos a iniciação com várias universidades do Brasil e escolas para formar crianças e universitários na nossa área dando a possibilidade inclusive de desenvolver satélites. Há um comprometimento muito grande com a formação de quadros para o futuro próximo do Programa Espacial Brasileiro, para isso temos colaboração com os Estados Unidos, por meio da Nasa, e diversos países, como a China, onde estudantes brasileiros estão estudando."

CBers

O presidente da AEB ressaltou, ainda, o programa de satélites de sensoriamento remoto CBers, realizado em parceria com o governo chinês e que colocou em órbita o quinto exemplar da série em dezembro de 2014.

"Estamos envolvidos no sexto satélite. O CBers enriqueceu o programa espacial puramente brasileiro. Isso aconteceu porque o objeto que foi escolhido é de interesse mútuo. É bom para os dois países, exige desenvolvimento conjunto e rapidez do Brasil para fazer a sua parte no programa", concluiu.

Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
Confira a programação
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Confira a programação
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma

Últimas imagens

O desenvolvimento de tecnologia para fabricar veículos lançadores de satélite é uma das prioridades
O desenvolvimento de tecnologia para fabricar veículos lançadores de satélite é uma das prioridades
Divulgação/INPE
Cientistas desenvolvem três projetos de pesquisa no navio em 20 dias de expedição
Cientistas desenvolvem três projetos de pesquisa no navio em 20 dias de expedição
Reprodução/MCTI
O documento está disponível no Sistema de Registro Nacional de Emissões
O documento está disponível no Sistema de Registro Nacional de Emissões
Divulgação/MCTIC
Convênio é mais um passo para a internacionalização da ciência brasileira
Convênio é mais um passo para a internacionalização da ciência brasileira
Divulgação/CNPq
A versão digital da publicação  está disponível gratuitamente na internet
A versão digital da publicação está disponível gratuitamente na internet
Divulgação/IBGE

Governo digital