Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2016 > 02 > Agência Espacial Brasileira completa 22 anos

Ciência e Tecnologia

Agência Espacial Brasileira completa 22 anos

AEB

Desde 1994, a AEB é responsável por formular e coordenar a política espacial do País
por Portal Brasil publicado: 11/02/2016 11h30 última modificação: 12/02/2016 17h02
EBC De acordo com o presidente da AEB, o País está engajado no desenvolvimento do sexto satélite CBers, em parceria com a China

De acordo com o presidente da AEB, o País está engajado no desenvolvimento do sexto satélite CBers, em parceria com a China

A Agência Espacial Brasileira (AEB) completou 22 anos nesta quarta-feira (10). Desde 1994, a AEB é responsável por formular e coordenar a política espacial do País. A agência é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Além de colocar satélites de comunicação na órbita terrestre, a agência tem priorizado investimentos em coleta de dados para fins ambientais e hidrometeorológicos. Por meio dessa tecnologia, o Brasil será capaz de fornecer ferramentas para que pesquisadores possam estudar mais sobre desastres naturais, chuvas, umidade do ar e, inclusive, investigar a migração e a incidência de determinados mosquitos, como por exemplo, o Aedes aegypti, causador da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

Outra frente de trabalho da AEB concentra-se na capacitação e na formação de profissionais qualificados. Em 2015, a agência alcançou importantes resultados com programa voltado ao desenvolvimento e lançamento de satélites de pequeno porte em conjunto com universidades nacionais e do exterior.

"A AEB está totalmente envolvida na formação de recursos humanos", garante  o presidente da agência, José Raimundo Braga Coelho. "Temos a iniciação com várias universidades do Brasil e escolas para formar crianças e universitários na nossa área dando a possibilidade inclusive de desenvolver satélites. Há um comprometimento muito grande com a formação de quadros para o futuro próximo do Programa Espacial Brasileiro, para isso temos colaboração com os Estados Unidos, por meio da Nasa, e diversos países, como a China, onde estudantes brasileiros estão estudando."

CBers

O presidente da AEB ressaltou, ainda, o programa de satélites de sensoriamento remoto CBers, realizado em parceria com o governo chinês e que colocou em órbita o quinto exemplar da série em dezembro de 2014.

"Estamos envolvidos no sexto satélite. O CBers enriqueceu o programa espacial puramente brasileiro. Isso aconteceu porque o objeto que foi escolhido é de interesse mútuo. É bom para os dois países, exige desenvolvimento conjunto e rapidez do Brasil para fazer a sua parte no programa", concluiu.

Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pesquisadores desenvolvem inovação para produção de etanol
Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Estados Unidos conseguem importante avanço para a produção de etanol de segunda geração
Kassab fala sobre o decreto que impulsionará a ciência no País
Durante o programa Por dentro do Governo, o ministro Gilberto Kassab falou sobre decreto que vai dar retaguarda e impulsionar a ciência no Brasil
Espírito Santo e Rio de Janeiro terão sinal analógico desligado
Com mudança, mais telespectadores terão acesso ao sinal digital, com imagem e som de melhor qualidade
Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Estados Unidos conseguem importante avanço para a produção de etanol de segunda geração
Pesquisadores desenvolvem inovação para produção de etanol
Durante o programa Por dentro do Governo, o ministro Gilberto Kassab falou sobre decreto que vai dar retaguarda e impulsionar a ciência no Brasil
Kassab fala sobre o decreto que impulsionará a ciência no País
Com mudança, mais telespectadores terão acesso ao sinal digital, com imagem e som de melhor qualidade
Espírito Santo e Rio de Janeiro terão sinal analógico desligado

Governo digital