Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2016 > 03 > Angra dos Reis recebe sistema de monitoramento de desastres

Ciência e Tecnologia

Angra dos Reis recebe sistema de monitoramento de desastres

Áreas de risco

A cidade do litoral fluminense é o sexto município brasileiro a receber os equipamentos do Cemaden
por Portal Brasil publicado: 01/03/2016 19h44 última modificação: 03/03/2016 11h50
Foto: Governo do RJ Os locais que receberão os equipamentos são definidos em parceria com a Defesa Civil do município

Os locais que receberão os equipamentos são definidos em parceria com a Defesa Civil do município

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI) instala nesta semana em Angra dos Reis (RJ) sensores geotécnicos para acompanhar, com maior precisão, movimentações de terra em morros e encostas nas áreas com risco de deslizamento. Os locais que receberão os equipamentos foram definidos em parceria com a Defesa Civil do município.

A Estação Total Robotizada (ETR) é um sensor geotécnico que emite sinal infravermelho, o qual é refletido nos 100 prismas (espelhos) instalados nas áreas consideradas vulneráveis. Esses sinais permitem captar até pequenas movimentações de terra, abrangendo uma área em 360 graus e com até 2,5 quilômetros de extensão. Os dados coletados pelos equipamentos são enviados, via internet, ao Cemaden, em São José dos Campos (SP).

Os moradores das áreas de risco de Angra dos Reis estão sendo informados sobre a instalação desses equipamentos próximos às moradias. O Cemaden esclarece que os aparelhos não causam qualquer interferência em outros equipamentos usados pela comunidade. 

Em uma parceria com o Cemaden, Angra dos Reis já possui 30 pluviômetros automáticos instalados em locais próximos às áreas de risco, além de 16 pluviômetros semiautomáticos, do Projeto Pluviômetros nas Comunidades. Esses equipamentos têm a função de medir, em milímetros, a quantidade de chuva em determinado local.

Projeto

Angra dos Reis é o sexto município brasileiro a receber os equipamentos do Cemaden dentro do Projeto de Monitoramento de Morros para Prevenção de Riscos de Deslizamentos. No total, nove municípios serão beneficiados. Os equipamentos já foram instalados em Mauá e Santos, no Estado de São Paulo, e Blumenau, em Santa Catarina.

Na região serrana do Rio de Janeiro, o Cemaden está concluindo a instalação dos equipamentos nos municípios de Petrópolis e Nova Friburgo. Teresópolis, na região serrana do Rio. Salvador, na Bahia, e Recife, em Pernambuco, também vão receber os sensores geotécnicos. 

Fonte: MCTI

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
Confira a programação
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Feira da Ceilândia no labirinto Aventura Alimentar faz parte da programação da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
Exposição mostra Feira em uma Aventura Alimentar
Confira a programação
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até 23 de outubro
O pesquisador Marcelo Fernandes de Oliveira aborda a importância do Banco Ativo de Germoplasma, uma coleção com 35 mil tipos de soja.
Saiba mais sobre o Banco Ativo de Germoplasma

Últimas imagens

Central de atendimento telefônico da Anatel funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, no número 1331
Central de atendimento telefônico da Anatel funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, no número 1331
Arquivo/Agência Brasil
Fenômeno vai ocorrer entre 10h e 12h deste domingo (26)
Fenômeno vai ocorrer entre 10h e 12h deste domingo (26)
Divulgaçao/MCTIC
Para funcionar, a Internet das Coisas precisa de sensores, para compilar os dados das atividades ou aplicações
Para funcionar, a Internet das Coisas precisa de sensores, para compilar os dados das atividades ou aplicações
Foto: Hedeson Alves/Governo do Paraná
As informações coletadas farão parte do SiBBr e do Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira
As informações coletadas farão parte do SiBBr e do Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira
Divulgação/Inpa
Estudos sobre a planta se desenvolvem há sete anos
Estudos sobre a planta se desenvolvem há sete anos
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital