Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2017 > 02 > Governo libera cota de US$ 301 milhões para a ciência

Ciência e Tecnologia

Governo libera cota de US$ 301 milhões para a ciência

Desenvolvimento tecnológico

Institutos e pesquisadores ficarão isentos do pagamento do imposto de importação na compra de material para pesquisa e desenvolvimento tecnológico em 2017
por Portal Brasil publicado: 07/02/2017 14h21 última modificação: 07/02/2017 18h17
Arquivo/Agência Brasil Em 2016, 216 entidades e 285 pesquisadores foram beneficiados pela cota de importação de insumos no valor de US$ 290 milhões

Em 2016, 216 entidades e 285 pesquisadores foram beneficiados pela cota de importação de insumos no valor de US$ 290 milhões

O governo federal liberou a cota de importação de insumos e equipamentos para pesquisa científica. A iniciativa, publicada nesta segunda-feira (6), permite que institutos e pesquisadores fiquem isentos de pagar o imposto de importação na compra de US$ 301 milhões em material para pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

Com a liberação, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) fará a análise dos pedidos das entidades e pesquisadores credenciados.

Para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, a liberação das cotas é uma importante conquista para a comunidade científica e para o País.

"As cotas de importação asseguram a continuidade de projetos que têm grande valor para a população brasileira. Além disso, os insumos e equipamentos adquiridos por meio dessa cota são fundamentais para a competitividade do País em ciência, tecnologia e inovação", avaliou.

No ano passado, 216 entidades e 285 pesquisadores foram beneficiados pela cota de importação de equipamentos e insumos no valor de US$ 290 milhões. Desse total, US$ 190,6 milhões foram utilizados.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MCTIC e do CNPq

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Psicultura cresce no Brasil com apoio da Embrapa
Produção de peixes no Brasil cresce a cada ano, a partir de tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Internet 4G cresceu 120% em um ano no Brasil
Esse tipo de conexão é mais rápida e hoje já cobre quase 1700 cidades. Até o fim deste ano, a 4G deve chegar a todos os municípios com mais de 30 mil habitantes
Brasil lança primeiro satélite geoestacionário
Projeto será utilizado para comunicações estratégicas do governo e implementação do Programa Nacional de Banda Larga
Produção de peixes no Brasil cresce a cada ano, a partir de tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Psicultura cresce no Brasil com apoio da Embrapa
Esse tipo de conexão é mais rápida e hoje já cobre quase 1700 cidades. Até o fim deste ano, a 4G deve chegar a todos os municípios com mais de 30 mil habitantes
Internet 4G cresceu 120% em um ano no Brasil
Projeto será utilizado para comunicações estratégicas do governo e implementação do Programa Nacional de Banda Larga
Brasil lança primeiro satélite geoestacionário

Últimas imagens

As descobertas vão desde as medidas gases de efeito estufa aos efeitos dos aerossóis no balanço radiativo
As descobertas vão desde as medidas gases de efeito estufa aos efeitos dos aerossóis no balanço radiativo
Divulgação/Inpe
As recepções da TV NBR deverão ser reprogramadas para a nova sintonia: 3753 MHz
As recepções da TV NBR deverão ser reprogramadas para a nova sintonia: 3753 MHz
Arquivo/Agência Brasil
Também é possível encontrar mapas do monitoramento da vegetação para o período de 2007 a 2016
Também é possível encontrar mapas do monitoramento da vegetação para o período de 2007 a 2016
Foto: Paulo de Araújo/ MMA
Entre os meses de outubro e março, cientistas viajam ao continente gelado para realizar a coleta de fungos
Entre os meses de outubro e março, cientistas viajam ao continente gelado para realizar a coleta de fungos
Divulgação/Projeto MycoAntar
Em 20 anos, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica já superou os 8 milhões de participantes
Em 20 anos, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica já superou os 8 milhões de participantes
Divulgação/MCTIC

Governo digital