Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2017 > 03 > Empresas e startups terão R$ 53,6 milhões para investir em inovação

Ciência e Tecnologia

Empresas e startups terão R$ 53,6 milhões para investir em inovação

Edital

Iniciativa vai promover a cultura de inovação e aumentar a produtividade das indústrias
publicado: 21/03/2017 16h22 última modificação: 21/03/2017 16h34

O novo edital de Inovação para a Indústria, antes conhecido como Edital Senai Sesi de Inovação, está com inscrições abertas para empresas de todos os portes e startups interessadas em financiar ideias de produtos e processos inovadores. A expectativa é beneficiar, já em 2017, projetos de inovação oriundos de 150 a 200 pequenos negócios.

Toda e qualquer empresa do setor industrial e startups de base tecnológica pode inscrever propostas no site www.editaldeinovacao.com.br. O prazo varia conforme a categoria da empresa. 

Destinado a promover a cultura de inovação e aumentar a produtividade das indústrias, o Edital conta com investimento de R$ 30 milhões do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), R$ 20 milhões do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e R$ 3,6 milhões do Serviço Social da Indústria (Sesi). Neste ano, a meta é financiar 285 projetos com custo individual de R$ 75 mil a R$ 400 mil.

Criado desde 2004, o Edital Senai Sesi de Inovação permite atender uma fatia ainda maior das demandas da indústria por ideias inovadoras. Duas novas categorias foram criadas: Inovação Tecnológica para Micro e Pequenas Empresas Industriais, MEI e Startups e Empreendedorismo Industrial. O objetivo é incentivar a conexão entre grandes empresas e startups de base tecnológica e o investimento em inovação nos micro e pequenos negócios.

“Investir em inovação é um caminho para a indústria se tornar mais competitiva e sair fortalecida deste momento de dificuldades econômicas. Com novos parceiros e maior volume de recursos, o novo Edital de Inovação da Indústria será instrumento decisivo no fomento à inovação no Brasil”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Sebrae

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

registrado em: , ,
Assunto(s): Economia, Empresas

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência

Últimas imagens

Mais de 60 mil pessoas já baixaram o aplicativo para receber alertas de chuvas
Mais de 60 mil pessoas já baixaram o aplicativo para receber alertas de chuvas
Arquivo/Agência Brasil
Ferramenta, batizada de SOS Chuva, pode ajudar população a se prevenir nos casos de eventos extremos
Ferramenta, batizada de SOS Chuva, pode ajudar população a se prevenir nos casos de eventos extremos
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste vão adotar o horário de verão em 2017/2018
Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste vão adotar o horário de verão em 2017/2018
Divulgação/Itaipu
Áreas de agronegócio, indústria, cidades e saúde devem ser priorizadas no Plano Nacional
Áreas de agronegócio, indústria, cidades e saúde devem ser priorizadas no Plano Nacional
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital