Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2017 > 03 > Estudantes brasileiros acompanham lançamento de satélite geoestacionário

Ciência e Tecnologia

Estudantes brasileiros acompanham lançamento de satélite geoestacionário

Pesquisa Geoespacial

Alunos do ensino fundamental foram convidados pelo governo federal para viajarem à Guiana Francesa
por Portal Brasil publicado: 17/03/2017 17h24 última modificação: 22/03/2017 18h46

Depois de projetarem o satélite Tancredo-1, colocado em órbita há dois meses pela Estação Espacial Internacional, os alunos da Escola Municipal Tancredo Neves (SP) foram convidados pelo governo federal para acompanhar o lançamento de outro equipamento: o primeiro satélite geoestacionário do País.

Os três alunos e um professor brasileiro que vão representar a escola foram escolhidos por sorteio e vão acompanhar o lançamento ao vivo do Centro Espacial de Kourou.

"Poder ver o lançamento de um satélite ao vivo, apesar de ter lançado o meu, só vi pelo computador, vou poder estar lá, vai ser muito bom", comemorou a jovem cientista Rafaela Daniol. O lançamento do Tancredo-1, que ocorreu no Japão, foi transmitido pela internet no mês passado.

"Quando a gente soube que iria, ficamos felizes demais".
disse o estudante Carlos Alberto de Oliveira, que integra a equipe.

Além da viagem à Guiana, os alunos envolvidos no projeto já foram ao Japão para apresentar o trabalho desenvolvido em um congresso aeroespacial e também para os Estados Unidos, onde conheceram a Agência Espacial Americana (Nasa).

O equipamento produzido pelos estudantes foi totalmente fabricado no Brasil com o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Agência Espacial Brasileira (AEB). O artefato ficará na órbita da Terra, a 400 quilômetros de altitude, e será ferramenta de um experimento para estudar a formação de bolhas de plasma na atmosfera, fenômeno que interfere na captação de sinais de satélite e em antenas parabólicas em países localizados na linha do Equador.

Satélite Geoestacionário

O projeto do governo brasileiro é uma parceria entre os Ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e envolve investimentos da ordem de R$ 2,1 bilhões.

O satélite, adquirido pela Telebras, terá uma banda KA, que será utilizada para comunicações estratégicas do governo e implementação do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), além de uma banda X, que corresponde a 30% do equipamento, de uso exclusivo das Forças Armadas.

Com isso, o Brasil passará a fazer parte do grupo de países que contam com seu próprio satélite geoestacionário de comunicações, diminuindo a necessidade de alugar equipamentos de empresas privadas, o que vai gerar uma economia significativa aos cofres públicos e maior segurança em suas comunicações.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MCTIC e NBR

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

BNDES prepara fundo de R$ 200 milhões para startups
Representantes de instituições financeiras e investidores estiveram reunidos para tratar do futuro das Startups
Microalgas podem ser utilizadas para fabricação de biocombustíveis
Pesquisas da Embrapa indicam que a fabricação é possível a partir de microalgas cultivadas em resíduos agroindustriais
Temer diz que a inovação tecnológica avança na medida em que avança a confiança no país
Presidente participou de reunião do Comitê de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação
Representantes de instituições financeiras e investidores estiveram reunidos para tratar do futuro das Startups
BNDES prepara fundo de R$ 200 milhões para startups
Pesquisas da Embrapa indicam que a fabricação é possível a partir de microalgas cultivadas em resíduos agroindustriais
Microalgas podem ser utilizadas para fabricação de biocombustíveis
Presidente participou de reunião do Comitê de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação
Temer diz que a inovação tecnológica avança na medida em que avança a confiança no país

Últimas imagens

ICTs públicas e privadas beneficiadas pelo poder público deverão prestar as informações
ICTs públicas e privadas beneficiadas pelo poder público deverão prestar as informações
Divulgação/Governo de São Paulo
O satélite CBERS-4 tem quatro câmeras de geração de imagens
O satélite CBERS-4 tem quatro câmeras de geração de imagens
Divulgação/Inpe
Satélite foi totalmente construído no Brasil com apoio da AEB
Satélite foi totalmente construído no Brasil com apoio da AEB
Arquivo/Agência Brasil
Um dos alvos dos ODS é combater mudanças climáticas
Um dos alvos dos ODS é combater mudanças climáticas
Foto: PNUMA
Os alunos que mais se destacam na competição também podem participar da Jornada Espacial, em São José dos Campos (SP)
Os alunos que mais se destacam na competição também podem participar da Jornada Espacial, em São José dos Campos (SP)
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital