Você está aqui: Página Inicial > Ciência e Tecnologia > 2017 > 07 > Satélite geoestacionário passa a operar banda X

Ciência e Tecnologia

Satélite geoestacionário passa a operar banda X

Espaço

Uso da frequência faz parte do processo de capacitação de técnicos das Forças Armadas
por Portal Brasil publicado: 03/07/2017 15h14 última modificação: 03/07/2017 15h14

O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), o primeiro produzido no País para uso civil e militar, também será usado em transmissões da banda X do espectro.

Os testes com a frequência fazem parte da capacitação de engenheiros e técnicos das Forças Armadas no Rio de Janeiro e Brasília. A banda X corresponde a 30% da capacidade do satélite e será de uso exclusivo das Forças Armadas.

Em setembro, os testes serão com a banda Ka, que será usada em comunicações estratégicas do governo federal também na implementação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

O satélite deve permitir que pelo menos 7 mil equipamentos públicos municipais, estaduais e federais se conectem à internet. Ao todo, foram investidos R$ 2,7 bilhões no satélite.

"Com o Satélite Geoestacionário, que se torna realidade a partir da definição dele como prioridade do governo, avançaremos muito no campo da inclusão digital, que se traduz em menos desigualdades e mais oportunidades para cidadãos de todo o País, além de aperfeiçoar serviços em saúde e educação, por exemplo", afirmou o ministro Gilberto Kassab.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Serão selecionados cerca de 50 projetos entre 2017 e 2018. Investimento total do governo federal é de R$ 10 milhões
Startup Brasil lança nova etapa para seleção de iniciativas inovadoras
Por lei, os canais devem destinar espaço para três horas e meia por semana, em horário nobre, para o conteúdo audiovisual de origem nacional
Canais de TV por assinatura devem ter conteúdo nacional
Acordo deve priorizar áreas de energia renovável, meio ambiente, agroindústria e bioeconomia
Brasil e Argentina firmam parceria em ciência

Governo digital