Você está aqui: Página Inicial > Cultura > 2015 > 07 > Cinco dias de cinema latino-americano

Cultura

Cinco dias de cinema latino-americano

Audiovisual

1ª Mostra de Filmes do Mercosul traz para Brasília curtas e longas-metragens do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela
por Portal Brasil publicado: 14/07/2015 15h30 última modificação: 14/07/2015 17h59
Foto: divulgação "Branco sai, preto fica" "Branco sai, preto fica", dirigido por Adirley Queirós, foi premiado como melhor filme no Festival de Brasília em 2014

"Branco sai, preto fica", dirigido por Adirley Queirós, foi premiado como melhor filme no Festival de Brasília em 2014

Parte da programação cultural da 18ª edição da Cúpula Social do Mercosul, a 1ª Mostra de Filmes do Mercosul ocupará o Cine Brasília (tradicional sala de cinema na capital brasileira) de 15 a 19 de julho. Organizada pela Alta Representação Geral do Mercosul em parceria com a Secretaria-Geral da Presidência da República e com a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC), a mostra conta com curtas e longas-metragens do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela.

O jornalista e escritor uruguaio Eduardo Galeano, falecido em abril deste ano, será homenageado na solenidade de abertura. Em 2008, Galeano, autor de mais de 40 livros (traduzido para diverso idiomas), foi agraciado com o primeiro título de Cidadão Ilustre do Mercosul.

Produtor e curador da mostra, Leonardo Barbosa comenta que a programação é formada por produções representativas de cada país. “São filmes premiados, que compõem um conjunto de propostas diversificadas e mostram o que de melhor têm sido feito pelo cinema latino-americano contemporâneo.”

O filme 7 caixas, por exemplo, é o maior sucesso de bilheteria do cinema paraguaio. Branco sai, preto fica foi o grande vencedor do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro do ano passado. O drama venezuelano Pelo malo ganhou premio especial do júri no Festival de Havana e melhor direção no Festival de Mar Del Plata.

Leonardo Barbosa também destaca a possibilidade de ver, na tela grande, a seleção de curtas. “São filmes que têm uma difusão bem menor. Os festivais de cinema são a grande chance de conferir esses curtas.”

A 1ª Mostra de Filmes do Mercosul tem entrada gratuita. O Cine Brasília está localizado EQS 106/107 (Brasília-DF).

PROGRAMAÇÃO

15 de junho (quarta-feira)
Às 20h: Solenidade de abertura com homenagem a Eduardo Galeano: exibição do Programa Sangue Latino (Canal Brasil).

21h: Doze mil noites de Jazz (Argentina, 8 min, 2014). Dir. Salvador Savarese e Cristina Marrón. Sinopse: Jazz & Pop, mítico clube de jazz em Buenos Aires, e seu criador, Jorge “Negro” Gonzalez, são temas deste curta-metragem.

Querida, vou comprar cigarros e já volto (Argentina, 80 min, 2011). Dir. Mariano Cohn, Gastón Duprat. Sinopse: Ernesto recebe uma proposta bizarra de uma criatura misteriosa: um milhão de dólares para viver novamente dez anos de sua vida com o conhecimento que tem hoje.

16 de julho (quinta-feira)
15h: O banheiro do Papa (Uruguai, 90 min, 2007). Dir. César Charlone e Enrique Fernandéz. Sinopse: A cidade de Melo, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai, está agitada devido à visita do Papa. Milhares de pessoas virão à cidade, o que anima a população local, que vê na ocasião uma oportunidade de fazer dinheiro. Beto decide criar o Banheiro do Papa, onde as pessoas poderão se aliviar durante o evento. Mas para torná-lo realidade terá que realizar longas e arriscadas viagens até a fronteira, além de enfrentar sua esposa Carmen (Virginia Mendez) e o descontentamento de Silvia (Virginia Ruiz), sua filha.

17 de julho (sexta-feira)
15h: Y al tercer día (Paraguai, 11 min, 2013). Dir. Osvaldo Ortiz Faiman. Sinopse: Três donas de casa, Porota, Nena e Chiquita são vizinhas. Há três dias, as amigas não têm notícias de Chiquita, a quem esperam para rezar para São Expedito. O cão de Porota traz o papagaio de Chiquita morto e sujo de terra. As mulheres se desesperam e tentam resolver o problema de alguma maneira antes que a amiga volte. A solução é um “milagre”.

7 caixas (Paraguai, 100 min, 2012). Dir. Juan Carlos Maneglia, Tana Schembori. Sinopse: O carreteiro Victor passa as horas vagas imaginando uma vida de fama e admirando a televisão da loja de DVDs do mercado. O jovem enfrenta um mundo competitivo e precisa batalhar para conseguir seus pequenos trabalhos, carregando compras dos clientes. Certo dia, ele recebe uma proposta diferente: carregar sete caixas com um conteúdo desconhecido para ganhar uma nota rasgada de cem dólares.

18 de julho (sábado)
14h: Pelo malo (Venezuela, 95 min, 2013). Dir. Mariana Rondón. Sinopse: Junior, um menino de nove anos, sonha em alisar o cabelo para ficar parecido com sua imagem fantasiosa de um cantor de cabelos compridos. Sua mãe Marta luta para sustentar a família após a morte do marido e, ao mesmo tempo, tenta evitar o jeito diferente do filho.

19 de julho (domingo)
14h: Fragmentos (Brasil, 18 min, 2013). Dir. Antônio Balbino. Sinopse: Livremente adaptado do conto Z, de Roberta Fraga. Z vive no seu mundo particular tendo um gato como companhia. Tudo segue sua normalidade até o aparecimento de uma encomenda. Amigos? Talvez a mulher que cuida das flores. Trabalho? Talvez tivesse. Família? Talvez...

Branco sai, preto fica (Brasil, 93 min, 2014). Dir. Adirley Queiroz. Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

Fonte: Portal Brasil, Ministério da Cultura e Secretaria-Geral da Presidência da República

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Cultura lança Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual
Cinco editais destinarão mais de R$ 8,6 milhões para 135 projetos do setor
Vale Cultura pode ser usado em cinemas
Benefício também pode ser utilizado shows, cinema, exposições, livros, música, instrumentos musicais e muito mais
Conheça a cultura do pífano no Brasil
João Alfredo Marques dos Santos, mais conhecido como Mestre João do Pife, fala sobre sua luta divulgando a cultura do pífano no Brasil e no mundo
Cinco editais destinarão mais de R$ 8,6 milhões para 135 projetos do setor
Cultura lança Programa Nacional de Fomento ao Audiovisual
Benefício também pode ser utilizado shows, cinema, exposições, livros, música, instrumentos musicais e muito mais
Vale Cultura pode ser usado em cinemas
João Alfredo Marques dos Santos, mais conhecido como Mestre João do Pife, fala sobre sua luta divulgando a cultura do pífano no Brasil e no mundo
Conheça a cultura do pífano no Brasil

Últimas imagens

Público pode acompanhar, gratuitamente, as discussões em telão instalado no Auditório da Praça
Público pode acompanhar, gratuitamente, as discussões em telão instalado no Auditório da Praça
Fernando Frazão/Agência Brasil
"Elis", cinebiografia de Elis Regina, é o filme com mais indicações, finalista em 12 categorias
"Elis", cinebiografia de Elis Regina, é o filme com mais indicações, finalista em 12 categorias
Divulgação/Pref. de São Gonçalo do Pará (MG)
Filmes do Festival Mimo devem ter a música, seus personagens e suas histórias como tema
Filmes do Festival Mimo devem ter a música, seus personagens e suas histórias como tema
Foto: Tom Cabral/Festival Mimo de Cinema
Alunos e professores em 16 cidades do Brasil receberão o material
Alunos e professores em 16 cidades do Brasil receberão o material
Divulgação/Fundação Palmares
Programação traz diversos eventos sobre conservação do patrimônio cultural e histórico
Programação traz diversos eventos sobre conservação do patrimônio cultural e histórico
Divulgação/Iphan

Governo digital