Você está aqui: Página Inicial > Cultura > 2017 > 03 > Ancine leva 25 filmes e projetos a eventos internacionais

Cultura

Ancine leva 25 filmes e projetos a eventos internacionais

Incentivo

Em março, obras audiovisuais brasileiras participam de 11 festivais internacionais com auxílio do programa de apoio da agência
por Portal Brasil publicado: 16/03/2017 15h11 última modificação: 16/03/2017 15h17
Arquivo/EBC Brasil vai marcar presença no Festival Cinelatino – Encontros de Toulouse, que tem início nesta sexta-feira (17)

Brasil vai marcar presença no Festival Cinelatino – Encontros de Toulouse, que tem início nesta sexta-feira (17)

No mês de março, 25 obras audiovisuais brasileiras participam de 11 festivais internacionais, com auxílio do Programa de Apoio à Participação Brasileira em Festivais, Laboratórios e Workshops Internacionais.

O cinema brasileiro vai marcar presença no Festival Cinelatino – Encontros de Toulouse, que tem início nesta sexta-feira (17).

O programa da Agência Nacional do Cinema (Ancine) concede diferentes apoios a obras audivisuais, a depender da classificação de cada evento.

Na mostra competitiva de longas-metragens, os representantes brasileiros são “Era o hotel Cambridge”, de Eliane Caffé, e “Não devore meu coração”, de Felipe Bragança.

Na competição de documentários, participam “Histórias que nosso cinema (não) contava”, de Fernanda Pessoa, e “Sexo, Pregações e Política”, de Aude Chevalier-Beaumel e Michael Gimenez, “Rosinha”, de Gui Campos, concorre na competição de curtas-metragens.

O festival conta ainda com um evento de mercado, o Cinéma en Développement, do qual participam os projetos “Sábado morto”, de Leonardo Lacca, e “Meio-irmão”, de Eliane Coster.

O festival francês de documentários Cinéma du Réel, de 24 de março a 2 de abril, também recebe produções brasileiras como “Martírio”, de Vincent Carelli, na Competição Internacional, e a coprodução Brasil-França “Ilhas Ressonantes”, de Daniel Ferreira, na Competição Francesa.

Entre 20 a 26 de março, no Torino Film Lab, “Medusa”, de Anita Rocha, participa do workshop para roteiros Scriptlab, em Vilnius, na Lituânia.

Festivais passados

Entre 1º e 8 de março, aconteceu, na capital portuguesa, o Festin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa.

A Ancine concedeu apoio a três filmes que concorreram na competição de longa-metragem: “Para ter onde ir”, de Jorane Castro; “Animal político”, de Tião; e “Comeback”, de Érico Rossi, que venceu o Prêmio da Crítica de melhor longa de ficção e melhor realizador.

O festival premiou ainda outras obras nacionais, como “Big Jato”, de Cláudio Assis; “Curumim”, de Marcos Prado; “Todos”, de Marilaine Castro da Costa e Alberto Cassol; “BR 716”, de Domingos de Oliveira; “Lua em Sagitário”, de Márcia Paraíso; “Rosinha”, de Gui Campos; “O projeto do meu pai”, de Rosaria; e “Pequenos animais sem dono”, de Maju de Paiva.

No Festival Internacional de Cinema de Cartagena das Índias, que aconteceu de 1° a 6 de março, o apoio foi para “A casa cinza e as montanhas verdes”, de Deborah Viegas, e “O estacionamento”, de William Biagioli, que participaram da Mostra Competitiva de Curtas-Metragens,

“Arábia”, de Affonso Uchôa e João Dumans, que concorreu na Competição Oficial, também recebeu apoio. “Aquarius”, de Kleber Mendonça, recebeu o prêmio de melhor filme na mostra Gemas do evento colombiano.

A Ancine ajudou, ainda, na participação de produções brasileiras no Festival de Cinema de Miami, nos Estados Unidos; no FICG  Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, no México; e no festival New Directors/New Films, de Nova Iorque.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Ancine

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mudanças tornam Lei Rouanet mais transparente e acessível
Ministério da Cultura anunciou pacote de mudanças na Lei Rouanet que vão facilitar fiscalização e transparência de projetos
Lei Rouanet: Iniciativas tornam a norma mais transparente e acessível
No último dia 21 de março, o Ministério da Cultura anunciou um pacote de mudanças que vai corrigir as principais distorções da Lei Rouanet
Funarte disponibiliza publicações sobre arte gratuitamente na internet
A Fundação Nacional de Artes disponibiliza um acervo online com materiais sobre teatro, fotografia, música e outros temas
Ministério da Cultura anunciou pacote de mudanças na Lei Rouanet que vão facilitar fiscalização e transparência de projetos
Mudanças tornam Lei Rouanet mais transparente e acessível
No último dia 21 de março, o Ministério da Cultura anunciou um pacote de mudanças que vai corrigir as principais distorções da Lei Rouanet
Lei Rouanet: Iniciativas tornam a norma mais transparente e acessível
A Fundação Nacional de Artes disponibiliza um acervo online com materiais sobre teatro, fotografia, música e outros temas
Funarte disponibiliza publicações sobre arte gratuitamente na internet

Últimas imagens

Os estudantes aprendem técnicas como manipulação de malabares, acrobacias e equilíbrio
Os estudantes aprendem técnicas como manipulação de malabares, acrobacias e equilíbrio
Foto: Sebastião Castellano/Funarte
O Iberescena foi criado em 2006 pelos chefes de Estado e de Governo na XVI Cúpula Ibero-Americana
O Iberescena foi criado em 2006 pelos chefes de Estado e de Governo na XVI Cúpula Ibero-Americana
Foto: Carla Lima/Governo do Amazonas
O Festival Biarritz América Latina é um dos eventos contemplados por um dos Programas de Apoio da Ancine
O Festival Biarritz América Latina é um dos eventos contemplados por um dos Programas de Apoio da Ancine
Divulgação/Festival Biarritz
Fundação Biblioteca Nacional é uma das responsáveis por difundir produção literária brasileira no exterior
Fundação Biblioteca Nacional é uma das responsáveis por difundir produção literária brasileira no exterior
Divulgação/Fundação Biblioteca Nacional
Imagens do fotógrafo Lori Figueiró retratam o cotidiano e a cultura do Vale do Jequitinhonha
Imagens do fotógrafo Lori Figueiró retratam o cotidiano e a cultura do Vale do Jequitinhonha
Foto: Divulgação/Lori Figueiró

Governo digital