Você está aqui: Página Inicial > Defesa e Segurança > 2017 > 01 > Força-tarefa vai analisar situação de presos provisórios no Amazonas

Defesa e Segurança

Força-tarefa vai analisar situação de presos provisórios no Amazonas

Presídios

Ação do Ministério da Justiça e da Defensoria Pública pretende diminuir a população carcerária do estado
por Portal Brasil publicado: 11/01/2017 09h50 última modificação: 11/01/2017 11h48
Arquivo/Agência Brasil Estimativa é que, no Amazonas, mais da metade dos presos que estão nos presídios sejam provisórios

Estimativa é que, no Amazonas, mais da metade dos presos que estão nos presídios sejam provisórios

O Ministério da Justiça e Cidadania e a Defensoria Pública vão criar uma força-tarefa para analisar a situação dos presos provisórios no Amazonas com a intenção de reduzir a população carcerária no estado.

A estimativa é que, no Amazonas, mais da metade dos presos que estão nos presídios sejam provisórios. A força-tarefa irá identificar, entre esses presos, quais são aqueles que cometeram crimes de menor gravidade (com exceção de crimes que envolvam porte ilegal de arma e corrupção), para que se proponham penas alternativas, diminuindo, assim, a população carcerária.

A experiência deverá ser reproduzida de forma permanente em todo o País. A criação de uma força-tarefa com a Defensoria para buscar soluções para os presos provisórios é uma das propostas contidas no Plano Nacional de Segurança.

O presidente do Conselho Nacional de Defensores Gerais, Ricardo Batista Souza, explicou que, além dos defensores e do Ministério da Justiça e Cidadania, participarão também desse esforço o governo do Amazonas, o Ministério Público e o Poder Judiciário.

“Um conjunto de defensores de todo o País atuará na avaliação de quais presos estão ali desnecessariamente que poderiam cumprir algum tipo de pena alternativa”, afirmou.

Nesta quarta-feira (11), haverá em Manaus uma reunião com as autoridades locais para um primeiro diagnóstico da situação desses presos provisórios. Dessa reunião, participará também a equipe do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), enviada pelo Ministério da Justiça e Cidadania, a pedido do governo do Amazonas, para auxiliar na solução da questão penitenciária.

Soluções

Estima-se que 42% dos presos no País sejam provisórios, quando a média mundial é de 22% e, nos países desenvolvidos, fica em torno de 8%. “A solução para a questão penitenciária não é somente construir presídios”, avalia Alexandre de Moraes.

Para a construção das penas alternativas para os crimes de menor gravidade, o ministro da Justiça e Cidadania propõe a criação de um conjunto de alternativas, como o uso de tornozeleiras eletrônicas, prestação de serviços à comunidade e cursos profissionalizantes.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Justiça e Cidadania

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

FAB garante transporte de órgãos para salvar vidas
Decreto de junho de 2016 determina que uma aeronave da Força Aérea Brasileira esteja sempre à disposição para transporte de órgãos
Governo investe R$ 470 milhões no monitoramento de fronteiras
Ministro da Defesa anunciou que investimentos do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron) serão dobrados em 2017
Ministro defende Sisfron para combate às drogas e ao contrabando
No Mato Grosso do Sul, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras cobre uma faixa de 600 km da fronteira com o Paraguai
Decreto de junho de 2016 determina que uma aeronave da Força Aérea Brasileira esteja sempre à disposição para transporte de órgãos
FAB garante transporte de órgãos para salvar vidas
Ministro da Defesa anunciou que investimentos do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron) serão dobrados em 2017
Governo investe R$ 470 milhões no monitoramento de fronteiras
No Mato Grosso do Sul, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras cobre uma faixa de 600 km da fronteira com o Paraguai
Ministro defende Sisfron para combate às drogas e ao contrabando

Governo digital