Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2010 > 03 > Empregador doméstico pode descontar contribuição ao INSS

Economia e Emprego

Empregador doméstico pode descontar contribuição ao INSS

por Portal Brasil publicado: 16/03/2010 19h18 última modificação: 28/07/2014 09h24

O empregador que assina a carteira de trabalho do empregado doméstico (caseiro, jardineiro, copeiro, babá, doméstica etc.), e opta pela declaração completa do Imposto de Renda de Pessoa Física ano base 2009, pode descontar os 12% sobre o valor do salário mínimo referentes à alíquota patronal de contribuição à Previdenciária Social. O desconto é limitado a apenas um empregado por CPF.

Até janeiro do ano passado, o valor do salário mínimo era de R$ 415. Da contribuição total de R$ 83, cabia ao empregador R$ 49,80 (12%). Em 1º de fevereiro, o piso nacional passou para R$ 465 e, o valor da contribuição, para R$ 93, cabendo ao empregador R$ 55,80. O valor da contribuição sobre o 13º salário também deve entrar na conta, assim como a percentual referente ao 1/3 do período de férias, caso ela tenha sido gozada no ano passado.

Para pagamento de contribuição, relativa ao adicional de 1/3 de férias, realizado no mês de janeiro ou em fevereiro de 2009 (meses de competência de dezembro de 2008 e de janeiro de 2009), o valor é de R$ 16,60. O montante relativo ao adicional de 1/3 de férias, pago nos meses de março a dezembro de 2009 (meses de competência da contribuição de fevereiro a novembro de 2009), é de R$ 18,60. O valor máximo para desconto, segundo a Receita Federal do Brasil, é de R$ 732.

É importante o empregador guardar o comprovante de pagamento da Guia da Previdência Social (GPS) utilizada para recolhimento da contribuição feita em nome do empregado por pelo menos cinco anos.
 

Desconto


A inscrição do empregado doméstico na Previdência Social, assim como o pagamento das contribuições, é de responsabilidade do empregador. Para inscrever o doméstico na Previdência Social, e obter o Número de Inscrição do Trabalhador (NIT), basta telefonar para a Central 135 ou acessar o portal da Previdência , na seção Inscrição na Previdência Social. É preciso o número da identidade ou da certidão de nascimento ou casamento, a Carteira de Trabalho e o CPF.
  

Direitos


Com a carteira de trabalho assinada e a contribuição ao INSS, os empregados domésticos passam a ter direito à aposentadoria (por idade, por invalidez ou por tempo de contribuição), auxílio-doença, salário-maternidade e, seus dependentes, a auxílio-reclusão e pensão por morte. Sem contribuir com a previdência, esses trabalhadores não podem usufruir da proteção social da Previdência.

O trabalhador doméstico é aquele que presta serviço de natureza contínua na residência de uma outra pessoa física ou família, contanto que esse serviço não tenha fins lucrativos para o empregador. Nessa categoria estão incluídas a empregada e o empregado domésticos, a governanta, cozinheiro (a), copeiro (a), babá, acompanhante de idosos, jardineiro (a), motorista particular e caseiro (quando o sítio ou local onde trabalha não exerce atividades com fins lucrativos), entre outros. 
 
A Constituição Federal de 1988 concedeu outros direitos sociais aos empregados domésticos, tais como: salário-mínimo; irredutibilidade salarial; repouso semanal remunerado; gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal; licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com duração de 120 dias; licença-paternidade; aviso-prévio; aposentadoria e integração à Previdência Social.

Com a Lei 11.324/2006, os trabalhadores domésticos conquistaram o direito a férias de 30 dias, à estabilidade para gestantes, aos feriados civis e religiosos, além da proibição de descontos de moradia, alimentação e produtos de higiene pessoal utilizados no local de trabalho.

Fonte:
Ministério da Previdência Social

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
BC está monitorando mercado internacional
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
BC está monitorando mercado internacional
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação

Últimas imagens

 pesquisa da Confederação nacional da Indústria, confiança do consumidor alcançou 101,2 pontos entre os meses de junho e julho
pesquisa da Confederação nacional da Indústria, confiança do consumidor alcançou 101,2 pontos entre os meses de junho e julho
Acordo determina regras para a venda, inclusive armazenamento e transporte
Acordo determina regras para a venda, inclusive armazenamento e transporte
A bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz
A bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz
Marcos Santos/USP Imagens
Ministério considerou uma etapa importante na viabilização da regularização de capitais no exterior
Ministério considerou uma etapa importante na viabilização da regularização de capitais no exterior
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Recuperação da confiança vai gerar investimentos, emprego e renda no País
Recuperação da confiança vai gerar investimentos, emprego e renda no País

Governo digital