Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2010 > 08 > Emprego na indústria cresce pelo 6º mês em junho

Geral

Emprego na indústria cresce pelo 6º mês em junho

por Portal Brasil publicado: 10/08/2010 19h35 última modificação: 28/07/2014 09h26
Divulgação/Ipardes Taxa foi de 0,5% em junho em relação a maio, no sexto mês seguido de avanço, segundo dados do IBGE

Taxa foi de 0,5% em junho em relação a maio, no sexto mês seguido de avanço, segundo dados do IBGE

Em junho de 2010, o total de empregos criados no setor industrial avançou 0,5% frente ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais, sexto resultado positivo consecutivo. Na comparação com junho de 2009, o emprego industrial avançou 4,9%, quinta taxa positiva consecutiva. Com isso, o fechamento do primeiro semestre do ano registrou expansão de 2,4%, acelerando o ritmo frente aos resultados dos últimos meses. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



O acumulado nos últimos 12 meses permaneceu apontando recuo (-1,6%), mas prosseguiu com a redução no ritmo de queda iniciada em janeiro último. O número de horas pagas teve alta de 0,3% frente ao mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal. No índice acumulado no ano houve avanço de 3,5%. Comparada com o mesmo período de 2009, houve avanço de 8,3% % no índice mensal e de 4,6% no acumulado primeiro semestre do ano.
 

A folha de pagamento real dos trabalhadores ajustado sazonalmente também cresceu, em  3,3%. em relação ao mês imediatamente anterior. Comparada com iguais períodos de 2009, houve avanço de 8,3% % no índice mensal e de 4,6% no acumulado primeiro semestre do ano. O acumulado nos últimos 12 meses teve ligeira variação negativa (-0,1%).
 

Resultados em todo o País
 

O resultado de junho teve crescimento em todos os locais investigados e 14 dos 18 setores. Entre os locais, a principal contribuição positiva permaneceu com São Paulo (3,7%), vindo a seguir região Nordeste (7,1%), Rio Grande do Sul (6,8%), região Norte e Centro-Oeste (7,1%), Rio de Janeiro (8,6%) e Minas Gerais (3,7%).
 

Na indústria paulista, as maiores influências positivas vieram das atividades de máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (10,0%), alimentos e bebidas (4,4%), máquinas e equipamentos (6,5%) e meios de transporte (5,6%). Na região Nordeste, sobressaíram os setores de calçados e couro (16,1%) e de alimentos e bebidas (7,8%), enquanto na indústria gaúcha, destacaram-se positivamente máquinas e equipamentos (16,2%), meios de transporte (14%) e outros produtos da indústria de transformação (12,6%).
 

Na região Norte e Centro-Oeste, a atividade de minerais não metálicos (33,4%) foi a que exerceu o maior impacto positivo no total das contratações. No Rio de Janeiro e em Minas Gerais, alimentos e bebidas (24,1%), produtos de metal (32,6%) e meios de transporte (10,1%), no primeiro local, e produtos de metal (27,4%) e meios de transporte (15,3%), no segundo, apontaram as principais pressões positivas no resultado global dessas áreas.
 

No total do País, ainda na comparação com igual mês do ano anterior, 14 dos 18 segmentos pesquisados ampliaram o pessoal ocupado no setor industrial, com destaque para as contribuições positivas vindas de setores de máquinas e equipamentos (9,5%), produtos de metal (9,8%), alimentos e bebidas (3,0%), meios de transporte (7,0%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (10,0%).
 

Por outro lado, vestuário (-1,8%), refino de petróleo e produção de álcool (-3,1%), madeira (-2,1%) e fumo (-7,2%) assinalaram os resultados negativos neste mês. No fechamento do primeiro semestre do ano, o emprego industrial mostrou expansão de 2,4%, com quatorze ramos e todos os locais ampliando o contingente de pessoal ocupado.

Fonte:
IBGE

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Indústrias de 18 estados interessadas em atuar no comércio exterior têm até 15 de setembro para se inscreverem no programa Rota Global. A iniciativa oferece consultoria gratuita para empresas de todos os portes e setores industriais se consolidarem ou começarem a operação no mercado internacional
Programa vai promover exportação de indústrias brasileiras

Últimas imagens

No acumulado do ano, arrecadação dos valores administrados pela Receita somou R$ 837,872 bilhões
No acumulado do ano, arrecadação dos valores administrados pela Receita somou R$ 837,872 bilhões
Arquivo/Agência Brasil
Preço caiu nas principais centrais do País
Preço caiu nas principais centrais do País
Clauduardo Abade/Conab
Proposta não busca identificar os atuais estoques de moeda física de pessoas físicas e jurídicas
Proposta não busca identificar os atuais estoques de moeda física de pessoas físicas e jurídicas
Arquivo/Agência Brasil
Relatório da Anac acompanha as tarifas aéreas vendidas ao público adulto
Relatório da Anac acompanha as tarifas aéreas vendidas ao público adulto
Arquivo/Agência Brasil
O empregador deve depositar 8% do salário pago no mês anterior
O empregador deve depositar 8% do salário pago no mês anterior
Arquivo/ Agência Brasil

Governo digital