Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2010 > 08 > Governo Central tem superávit primário de R$ 770,2 mi em julho

Geral

Governo Central tem superávit primário de R$ 770,2 mi em julho

por Portal Brasil publicado: 26/08/2010 20h10 última modificação: 28/07/2014 09h26

O resultado primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Receita Federal, Previdência Social e Banco Central) alcançou um superávit primário de R$ 770,2 milhões no mês de julho, acima do saldo positivo de R$ 664,6 milhões registrados em junho. Os dados, divulgados pelo Tesouro nesta quinta-feira (26), revelam que o Governo Central obteve receitas líquidas de R$ 59,996 bilhões, contra despesas de R$ 59,226 bilhões no período.

No acumulado de janeiro a julho, o superávit foi de R$ 25,6 bilhões, R$ 5,6 bilhões superior ao apurado no mesmo período de 2009. “Reitero a nossa convicção de cumprimento da meta de primário em 2010, sem utilizar o PPI e sem utilizar Fundo Soberano”, afirmou o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, ao comentar os dados.


A Previdência teve déficit de R$ 2,6 bilhões, sendo que a área urbana foi superavitária em R$ 900 milhões: “Pelo quarto mês consecutivo o resultado da previdência urbana foi positivo. Há uma estabilidade na situação previdenciária”, disse Arno.


Em julho, a receita bruta do Tesouro Nacional cresceu R$ 7,3 bilhões, com registro do recolhimento semestral do IRRF Rendimentos de Capital e o pagamento da primeira cota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), referente à apuração trimestral encerrada em junho, e o pagamento trimestral de royalties relativos à extração de petróleo.


Gasto com pessoal sob controle


As despesas com pessoal e encargos aumentaram R$ 3,5 bilhões em julho devido ao adiantamento da parcela do décimo-terceiro salário dos servidores do Poder Executivo. O secretário destacou que as despesas com pessoal estão 4% abaixo do PIB nominal há sete meses. “Não há nenhuma explosão de gastos com pessoal, não se projeta isso para este ano, não se projeta isso para o ano que vem”, disse Arno.


Na relação com o PIB nominal, as receitas cresceram 2,9%. O secretário avaliou de forma positiva a evolução das receitas. “Acho que vai manter uma tendência de crescimento real acima de 10%, podendo até acelerar um pouco”. O investimento cresceu 67%, com pagamento acumulado chegando em R$ 25,1 bilhões até julho de 2010, contra R$ 15 bilhões no mesmo período do ano passado.


Sobre a revisão da meta intermediária acumulada de janeiro a agosto de 2010, que era de R$ 40 bilhões e passou para R$ 30 bilhões, o secretário explicou que o ajuste foi realizado para adequar o fluxo real em relação ao segundo semestre, considerando o ritmo dos gastos com investimentos e do crescimento da receita.


O Tesouro esclareceu que a meta de superávit para o ano não foi alterada. “Nós sempre revisamos as metas intermediárias ao longo do ano”, disse o secretário. “O Brasil cumpre a meta há muitos anos, tem uma estabilidade fiscal muito forte. Isso é reconhecido pelo mercado na hora que ele se posiciona. E o mercado real é o custo dos títulos. Basta verificar a série”, concluiu Arno.


Fonte:
Ministério da Fazenda

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

CNH terá código digital para evitar fraudes
Documentos emitidos a partir de 1º de maio já possuem este elemento de autenticação
Documentos emitidos a partir de 1º de maio já possuem este elemento de autenticação
CNH terá código digital para evitar fraudes

Últimas imagens

Para Meirelles, aprovação da reforma da Previdência resultará em queda dos juros estruturais
Para Meirelles, aprovação da reforma da Previdência resultará em queda dos juros estruturais
Agência Brasil/ José Cruz
Dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) apontam para recuperação do comércio exterior
Dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) apontam para recuperação do comércio exterior
Arquivo EBC
Encerramento do feirão acontece em Brasília (DF), Fortaleza (CE) e Curitiba (PR)
Encerramento do feirão acontece em Brasília (DF), Fortaleza (CE) e Curitiba (PR)
Divulgação/Caixa
Para os analistas, a taxa Selic ficará em 8,50 ao ano em 2017
Para os analistas, a taxa Selic ficará em 8,50 ao ano em 2017
USP Imagens/ Marcos Santos
Índice de Confiança da Indústria da FGV avançou 1,1 ponto em maio
Índice de Confiança da Indústria da FGV avançou 1,1 ponto em maio
Arquivo/Agência Brasil

Governo digital