Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 02 > Agricultura e pecuária

Economia e Emprego

Agricultura e pecuária

O superavit da balança comercial do agronegócio em 2010 foi recorde, alcançou US$ 63 bilhões ou US$ 8,1 bilhões acima do registrado em 2009
por Portal Brasil publicado: 25/02/2011 11h15 última modificação: 28/07/2014 14h13

A expansão do campo

O superavit da balança comercial do agronegócio em 2010 foi recorde, alcançou US$ 63 bilhões ou US$ 8,1 bilhões acima do registrado em 2009. Esse saldo foi três vezes maior que os US$ 20 bilhões observados no superavit do comércio global do Brasil no mesmo período. Os itens mais exportados pelo país são soja, café e açúcar. A previsão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento é que nos próximos 15 anos haverá um aumento de 30 milhões de hectares cultivados no país, cedidos por áreas de pastagens, por conta do desenvolvimento tecnológico da pecuária de corte e da pecuária de leite.



Área plantada em 2010

67.181.336 milhões / ha 


Produção de grãos em 2010
149,5 milhões de toneladas

Agroindústria em 2010
Crescimento de 4,7% 

Rebanho bovino em 2009
205,292 milhões de cabeças

Produção leiteira em 2009
29,112 bilhões de litros

Exportação em 2010
US$ 76,4 bilhões

Valor Bruto da Produção dos principais produtos agrícola em 2010
R$ 172,741 milhões

Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar em 2010
103,8 mil agricultores familiares

Fontes:

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
IBGE
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

A revolução agrícola brasileira
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
Um projeto para o futuro
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Exemplos e desafios
Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic elogia medidas acertadas para agricultura e aborda desafios do País para o futuro.
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
A revolução agrícola brasileira
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Um projeto para o futuro
Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic elogia medidas acertadas para agricultura e aborda desafios do País para o futuro.
Exemplos e desafios

Últimas imagens

De acordo com a Anfavea, o aumento da exportação ocorreu em função do dólar favorável para as exportações e a acordos comerciais do Brasil com outros países
De acordo com a Anfavea, o aumento da exportação ocorreu em função do dólar favorável para as exportações e a acordos comerciais do Brasil com outros países
Marcelo Camargo/Agência Brasil
De acordo com a Anfavea, o aumento ocorreu em função do dólar favorável para as exportações e a acordos comerciais do Brasil com outros países
De acordo com a Anfavea, o aumento ocorreu em função do dólar favorável para as exportações e a acordos comerciais do Brasil com outros países
Marcelo Camargo/Agência Brasil
O anúncio foi feito pelo ministro, nesta quinta-feira (3), a prefeitos gaúchos
O anúncio foi feito pelo ministro, nesta quinta-feira (3), a prefeitos gaúchos
Paulo Henrique Carvalho
Ibiapina defende na reunião fortalecimento do Sistema Público de Emprego e políticas públicas desenvolvidas pelo MTE
Ibiapina defende na reunião fortalecimento do Sistema Público de Emprego e políticas públicas desenvolvidas pelo MTE
Renato Alves/MTE
Com a renovação antecipada foram unificados os três contratos de arrendamento que a empresa explora no cais santista - terminais T-33, T-35 e T-37
Com a renovação antecipada foram unificados os três contratos de arrendamento que a empresa explora no cais santista - terminais T-33, T-35 e T-37
CNT/Divulgação

Governo digital