Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 02 > BB: contribuinte pode negociar débito na Dívida Ativa da União até 30 de junho

Economia e Emprego

BB: contribuinte pode negociar débito na Dívida Ativa da União até 30 de junho

por Portal Brasil publicado: 02/02/2011 16h41 última modificação: 28/07/2014 14h12

Contribuintes que se encontram no cadastro da Dívida Ativa da União (DAU) têm até 30 de junho deste ano para negociarem seus débitos provenientes de crédito rural. O Banco do Brasil, em parceria com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), realizará a cobrança de crédito das operações estimadas em R$ 10,6 bilhões. 

Para negociar seus débitos, o contribuinte deve fazer o pedido junto à Central de Atendimento, pelos telefones: 4003 0494 nas capitais e regiões metropolitanas e 0800 880 0494 nas demais localidades. No caso de parcelamento, o valor da parcela será acrescido de taxa Selic e a concessão da renegociação não depende de apresentação de garantias ou de inclusão de bens. 

O BB calcula que mais de 116 mil contribuintes encontram-se nesta situação. As dívidas poderão ser liquidadas à vista ou parceladas em até 10 anos, com descontos progressivos de acordo com a Lei 11.775, de 17.09.2008. 

Apenas as inscrições originárias de operações de crédito rural existente em nome do devedor no mês do pedido de adesão aos benefícios da portaria informada pela PFFN ao BB poderão ser consolidadas. 

Se após a efetiva adesão à liquidação ou à renegociação surgirem novas inscrições originárias de operações de crédito rural em nome do devedor, este poderá solicitar nova liquidação ou renegociação. 

Em 2008, BB e PGFN firmaram contrato que permitiu realizar as primeiras negociações. Até o final do ano passado, quase 13 mil contribuintes regularizaram sua situação junto à União, envolvendo a renegociação de R$ 2 bilhões.

 

Fonte:
Banco do Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
BC está monitorando mercado internacional
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
BC está monitorando mercado internacional
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação

Últimas imagens

Quem nasceu nos meses de julho a dezembro receberá o benefício ainda no ano de 2016
Quem nasceu nos meses de julho a dezembro receberá o benefício ainda no ano de 2016
Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Governo digital