Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 02 > Índice Nacional da Construção Civil variou 0,27% em janeiro

Economia e Emprego

Índice Nacional da Construção Civil variou 0,27% em janeiro

por Portal Brasil publicado: 08/02/2011 12h36 última modificação: 28/07/2014 14h12

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal (CEF), iniciou o ano de 2011 com variação praticamente igual a registrada em dezembro de 2010 (0,26%), avançando apenas 0,01 ponto percentual.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em dezembro havia sido R$ 769,06, em janeiro passou para R$ 768,44, sendo R$ 436,29 relativos aos materiais e R$ 332,15 à mão-de-obra.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,32%, recuando 0,11 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,43%), enquanto a mão-de-obra registrou aceleração de 0,15 ponto percentual, passando de 0,05% em dezembro para 0,20% em janeiro.

Pressionada pelos reajustes salariais do Piauí, a região Nordeste, com alta de 0,46%, ficou com a maior taxa regional em janeiro. Os demais resultados foram: 0,37% (Norte), 0,21% (Centro-Oeste), 0,16% (Sudeste) e 0,14% (Sul).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 809,06 (Sudeste), R$ 779,58 (Norte), R$ 755,14 (Centro-Oeste), R$ 752,44 (Sul) e R$ 726,65 (Nordeste).

Devido à pressão exercida pelos reajustes salariais decorrentes de acordos coletivos, Piauí e Tocantins registraram as maiores taxas mensais, respectivamente, 4,19% e 3,00%. Os estados que apresentaram as menores variações foram: Mato Grosso (0,04%), Alagoas (0,08%), Roraima, Amapá e Rio Grande do Sul, todos com taxa de 0,09%.

Segundo o IBGE, estes resultados foram calculados com uma nova estrutura de ponderação das áreas geográficas. Ela pode ser acessada no site do instituto.


Fonte:
IBGE

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
A revolução agrícola brasileira
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
Um projeto para o futuro
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
A revolução agrícola brasileira
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Um projeto para o futuro

Últimas imagens

O leilão irá ocorrer na modalidade mista, por meio do Sistema Eletrônico de Comercialização da Conab
O leilão irá ocorrer na modalidade mista, por meio do Sistema Eletrônico de Comercialização da Conab
Divulgação/EBC
Instituições que se utilizam do SEI ganham mais espaço físico que antes era ocupado por pilhas de papel
Instituições que se utilizam do SEI ganham mais espaço físico que antes era ocupado por pilhas de papel
Divulgação/Governo de Santa Catarina
Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Divulgação/EBC
Produção de soja permanece como o principal destaque
Produção de soja permanece como o principal destaque
Divulgação/Ministério da Agricultura

Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Divulgação/EBC

Governo digital