Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 04 > Preços da mão-de-obra sobem e puxam custos da Construção Civil em março

Economia e Emprego

Preços da mão-de-obra sobem e puxam custos da Construção Civil em março

por Portal Brasil publicado: 07/04/2011 16h29 última modificação: 28/07/2014 14h16

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa, apresentou variação de 0,52% em março, o que representa um avanço 0,13 % em relação a fevereiro (0,39%). Nos últimos doze meses, a taxa de variação foi de 6,88%, abaixo dos 7,15% registrados nos doze meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em fevereiro havia sido R$ 771,45, em março passou para R$ 775,43 — sendo R$ 438,71 relativos aos materiais e R$ 336,72 à mão-de-obra.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,16%, ficando 0,23 ponto percentual menor em relação ao mês anterior (0,39%), enquanto a mão-de-obra registrou uma alta de 0,59 ponto, passando de 0,39% em fevereiro para 0,98% em março. No ano, os materiais subiram 0,88% e a mão-de-obra 1,58%. Os acumulados em doze meses foram: 5,09%(materiais) e 9,28% (mão-de-obra).


Região Sudeste se destacou em março

Pressionada pelo reajuste salarial do Rio de Janeiro, a região Sudeste, com alta de 1,05%, ficou com a maior taxa regional em março. Em seguida, os maiores resultados foram: 0,30% (Sul), 0,14% (Centro-Oeste), 0,13% (Nordeste) e 0,12% (Norte).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 818,49 (Sudeste); R$ 783,20 (Norte); R$ 757,88 (Centro-Oeste); R$ 756,46 (Sul) e R$ 734,10 (Nordeste).

Com relação aos acumulados, a região Nordeste se destacou com as maiores taxas no ano, 1,49%, mas no acumulado dos doze meses a região Centro-Oeste ficou com a maior variação, 8,41%.

Devido à pressão exercida pelo reajuste salarial decorrente de acordo coletivo, Rio de Janeiro registrou a maior taxa mensal (4,92%) e acumulado no ano (5,45%).


Fonte:
IBGE

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Banco Central reduz taxa de juros para 13% ao ano
A redução do juros foi possibilitada pela desaceleração da inflação em 2016 e queda já reflete no bolso do consumidor
Aposentados e pensionistas da União devem fazer recadastramento anual
Aposentados e pensionistas da União devem comparecer, no mês de seus aniversários, em qualquer banco credenciado em que sejam correntistas, para fazerem o recadastramento anual
Governo amplia volume de recursos do FGTS aplicados em habitação popular
Em 2017, o governo ampliará o volume de recursos do FGTS que são aplicados em habitação popular. Mais de R$ 33 bilhões serão destinados às famílias com renda mensal de até R$ 3.600
A redução do juros foi possibilitada pela desaceleração da inflação em 2016 e queda já reflete no bolso do consumidor
Banco Central reduz taxa de juros para 13% ao ano
Aposentados e pensionistas da União devem comparecer, no mês de seus aniversários, em qualquer banco credenciado em que sejam correntistas, para fazerem o recadastramento anual
Aposentados e pensionistas da União devem fazer recadastramento anual
Em 2017, o governo ampliará o volume de recursos do FGTS que são aplicados em habitação popular. Mais de R$ 33 bilhões serão destinados às famílias com renda mensal de até R$ 3.600
Governo amplia volume de recursos do FGTS aplicados em habitação popular

Últimas imagens

Banco Central vê inflação menor que previsto inicialmente
Banco Central vê inflação menor que previsto inicialmente
Rodrigo Oliveira/Caixa Econômica Federal
Estima-se que sejam colhidas entre 35,01 e 37,88 milhões sacas do café tipo arábica
Estima-se que sejam colhidas entre 35,01 e 37,88 milhões sacas do café tipo arábica
Arquivo/Agência Brasil
Ministro avalia que investidores estrangeiros têm uma nova visão sobre o Brasil, mais otimista
Ministro avalia que investidores estrangeiros têm uma nova visão sobre o Brasil, mais otimista
Gustavo Raniere/MF

Governo digital