Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 04 > Produtos da agricultura familiar fazem parte da alimentação escolar no Amazonas

Economia e Emprego

Produtos da agricultura familiar fazem parte da alimentação escolar no Amazonas

por Portal Brasil publicado: 20/04/2011 16h37 última modificação: 28/07/2014 14h16

A produção da agricultura familiar no Amazonas está qualificando o cardápio das mais de 300 mil refeições servidas diariamente aos alunos das 453 escolas da rede pública de ensino de Manaus (AM), integrante do Território da Cidadania Manaus e Entorno. Desde 2010, 126 famílias de agricultores familiares fornecem, toda semana, mais de cinco mil quilos de frutas, verduras, legumes e peixes às escolas por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

“O programa trouxe vários benefícios para os agricultores familiares, como a distribuição de renda e fomento para o setor primário”, destaca Leís Batista, gerente do Controle de Qualidade da Merenda Escolar da Secretaria Municipal de Educação (Semed/Manaus). Segundo ele, além das escolas, os alimentos adquiridos são destinados a entidades filantrópicas atendidas pelo PNAE, como centros municipais de educação infantil e creches.

A Lei da Alimentação Escolar nº 11.947/2009, determina que no mínimo 30% do recurso do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) seja investido na compra de produtos da agricultura familiar. Cada agricultor pode vender para o PNAE até R$ 9 mil por ano. “Com isso, os agricultores contam com outra alternativa de renda, além da expectativa de aumentar as vendas”, disse Batista.

A prefeitura de Manaus adquire os gêneros alimentícios por meio da Semed. Para evitar o desperdício e melhorar a eficiência da distribuição dos produtos da agricultura familiar, a Semed realiza uma programação prévia de entrega com todos os fornecedores (cooperativas e associações) antes da adquirir os alimentos. “Essa ação garante o aproveitamentos total da produção e também de lucro”, esclarece Batista.

 

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Agrário

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
A revolução agrícola brasileira
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
Um projeto para o futuro
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
A revolução agrícola brasileira
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Um projeto para o futuro

Últimas imagens

Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Divulgação/EBC
Produção de soja permanece como o principal destaque
Produção de soja permanece como o principal destaque
Divulgação/Ministério da Agricultura

Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Divulgação/EBC
Ao todo, o volume exportado deste campo somou 59,1 milhões de barris de petróleo no ano passado
Ao todo, o volume exportado deste campo somou 59,1 milhões de barris de petróleo no ano passado
Divulgação/Petrobras
Governo federal que elevar participação brasileira no comércio mundial do agronegócio para 10% nos próximos três anos
Governo federal que elevar participação brasileira no comércio mundial do agronegócio para 10% nos próximos três anos
Divulgação/MDA

Governo digital