Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 06 > Entra em vigor o cadastro positivo do consumidor

Economia e Emprego

Entra em vigor o cadastro positivo do consumidor

Banco de dados com informações financeiras sobre pessoas físicas e jurídicas brasileiras formará histórico para auxiliar operações comerciais e pode baratear juros do crédito aos bons pagadores
por Portal Brasil publicado: 10/06/2011 20h12 última modificação: 28/07/2014 14h27

Já estão em vigor as regras para a criação de bancos de dados dos consumidores, o chamado Cadastro Positivo, que pode premiar os bons pagadores com juros mais baixos no crediário. As informações vão auxiliar a concessão de crédito, venda a prazo ou outras operações comerciais e empresariais que impliquem risco financeiro. A nova lei foi sancionada, com vetos, pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (10). 

Os bancos de dados serão criados por empresas que ficarão responsáveis pela administração, coleta, armazenamento, análise e acesso de terceiros às informações. O consumidor precisa autorizar a inclusão de seus dados no cadastro e poderá pedir a retirada de informações a qualquer tempo que desejar. 

Os bancos de dados poderão conter informações de adimplemento do cadastrado para a formação do histórico de crédito. As informações armazenadas deverão ser objetivas, claras, verdadeiras e de fácil compreensão e necessárias para avaliar a situação econômica do cadastrado. 

Em maio, o cadastro de bons pagadores foi aprovado pelo Senado, que converteu a medida provisória em lei. A ideia é que o consumidor que paga suas contas em dia tenha taxa de juros mais baixas, já que as instituições financeiras terão acesso ao histórico de pagamentos. Como o risco de inadimplência será melhor avaliado, a taxa de juros tende a ser menor.

O Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa de Relações de Consumo (Ibedec) alerta, no entanto, para a necessidade de se criar mecanismos que evitem a venda ou o repasse de dados dos consumidores para serviços de telemarketing ou de envio de mensagens com ofertas de produtos e financiamentos. 

Saiba mais sobre o cadastro de bons pagadores, aqui.  

 

Proteção 

O cadastrado pode acessar gratuitamente as informações registradas sobre sua pessoa e pedir a impugnação de dados anotados incorretamente. Além disso, tem assegurado o direito de conhecer os principais critérios da análise de risco, resguardado o segredo empresarial. 

Segundo a lei, o prazo de permanência das informações nos bancos de dados é de 15 anos, sendo proibida a anotação de informações que não tenham qualquer relação com a análise de risco de crédito ao consumidor. Também não pode haver no cadastro informações pertinentes à origem étnica, sexual, à saúde ou às convicções políticas e religiosas do cadastrado.

 

Vetos 

Entre os vetos da presidenta Dilma à nova lei está o artigo que permitia o compartilhamento de informações entre bancos de dados. A justificativa para o veto é que o dispositivo é contraditório ao Artigo 9º da própria lei, “que possui norma mais protetiva à privacidade do cadastrado por exigir autorização expressa para o compartilhamento de informações entre os bancos de dados”. 

Outro artigo vetado permitia ao gestor do banco de dados manter informações sobre o consumidor se ainda houvesse obrigação não paga, mesmo quando fosse solicitado o cancelamento do cadastro. "O dispositivo impede que o cadastrado possa, a qualquer tempo, cancelar seu cadastro e eliminar as informações a ele referentes, violando a privacidade dos cidadãos e o caráter voluntário do cadastro positivo", diz a justificativa do veto. 

Também foi vetado o inciso que limitava a uma vez a cada quatro meses o acesso gratuito ao cadastro pelo consumidor. "O livre acesso de todo cidadão às suas próprias informações é pressuposto necessário a procedimento que vise a tutelar o exercício de direitos, devendo ser assegurada sua gratuidade a qualquer tempo", destaca a justificativa do veto.

 

Fonte:
Agência Brasil
Agência Senado

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Banco Central reduz taxa de juros para 13% ao ano
A redução do juros foi possibilitada pela desaceleração da inflação em 2016 e queda já reflete no bolso do consumidor
Aposentados e pensionistas da União devem fazer recadastramento anual
Aposentados e pensionistas da União devem comparecer, no mês de seus aniversários, em qualquer banco credenciado em que sejam correntistas, para fazerem o recadastramento anual
Governo amplia volume de recursos do FGTS aplicados em habitação popular
Em 2017, o governo ampliará o volume de recursos do FGTS que são aplicados em habitação popular. Mais de R$ 33 bilhões serão destinados às famílias com renda mensal de até R$ 3.600
A redução do juros foi possibilitada pela desaceleração da inflação em 2016 e queda já reflete no bolso do consumidor
Banco Central reduz taxa de juros para 13% ao ano
Aposentados e pensionistas da União devem comparecer, no mês de seus aniversários, em qualquer banco credenciado em que sejam correntistas, para fazerem o recadastramento anual
Aposentados e pensionistas da União devem fazer recadastramento anual
Em 2017, o governo ampliará o volume de recursos do FGTS que são aplicados em habitação popular. Mais de R$ 33 bilhões serão destinados às famílias com renda mensal de até R$ 3.600
Governo amplia volume de recursos do FGTS aplicados em habitação popular

Últimas imagens

Os maiores ganhos para o Brasil com a conclusão do acordo concentram-se nos bens básicos
Os maiores ganhos para o Brasil com a conclusão do acordo concentram-se nos bens básicos
Arquivo/Agência Brasil
Para consultar o saldo do FGTS, é necessário o número do PIS/Pasep que consta da carteira de trabalho
Para consultar o saldo do FGTS, é necessário o número do PIS/Pasep que consta da carteira de trabalho
Marcello Casal Jr/ABr
Itens de vestuário ficaram 0,18% mais baratos em janeiro
Itens de vestuário ficaram 0,18% mais baratos em janeiro
Rovena Rosa/Agência Brasil
O programa beneficia jovens que estejam cursando o ensino médio ou que já concluíram
O programa beneficia jovens que estejam cursando o ensino médio ou que já concluíram
Divulgação/MEC

Governo digital