Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 07 > País economiza 4,3% dos gastos públicos

Economia e Emprego

País economiza 4,3% dos gastos públicos

Segundo a Fazenda, corte de R$ 50,7 bilhões no Orçamento diminuiu gastos reais com manutenção da máquina pública nos quatro primeiros meses de 2011 em relação ao mesmo período do ano passado, descontada a inflação
por Portal Brasil publicado : 04/07/2011 21:07


O corte de R$ 50,7 bilhões no Orçamento diminuiu os gastos reais com a manutenção da máquina pública. Segundo dados do Ministério da Fazenda apresentados nesta segunda-feira (4), os gastos de custeio caíram 4,3% nos quatro primeiros meses de 2011 em relação ao mesmo período do ano passado, descontada a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

Os números constam da publicação Economia Brasileira em Perspectiva, divulgada a cada dois meses pelo ministério. 

De acordo com o documento, as despesas de custeio diminuíram de R$ 30,093 bilhões no primeiro quadrimestre de 2010 (valor corrigido pela inflação) para R$ 28,798 bilhões no mesmo período deste ano. O custeio direto, que leva em conta as próprias despesas do governo federal, tiveram queda real de 2,7%. O custeio indireto, que considera as transferências para estados, municípios e instituições privadas, caiu 5,5% descontada a inflação. 

Ainda segundo a Fazenda, as despesas que mais caíram em 2011 foram os gastos com premiações (culturais, artísticas, esportivas e científicas). Esses gastos diminuíram 56,8%. Em segundo lugar, estão as diárias de pessoal, com redução real de 41,4%, seguidos pelo pagamento de serviços a pessoas físicas, com 13,7%. As despesas com passagens e locomoção caíram 9,9%. 

O levantamento, no entanto, excluiu o pagamento de sentenças e depósitos judiciais, de indenizações, de restituições e de outros encargos. De acordo com o ministério, a exclusão desses números permite uma avaliação mais precisa dos gastos com a administração pública. 

Os números são diferentes dos divulgados todos os meses pelo Tesouro Nacional. De acordo com o resultado do órgão, divulgado na semana passada, os gastos com custeio cresceram 6,5% nos cinco primeiros meses do ano. Até março, a alta nominal acumulada era 15,2%. Os dados do Tesouro, no entanto, não consideram a inflação e incluem as despesas expurgadas do levantamento apresentado hoje.

 

Fonte:
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil