Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 08 > Perfil do endividado

Economia e Emprego

Perfil do endividado

Parcela média da renda comprometida com dívidas aumentou entre as famílias endividadas: de 28,7% em abril de 2010 para 29,4% em abril de 2011
por Portal Brasil publicado: 30/08/2011 15h53 última modificação: 28/07/2014 14h30
Renda comprometida com dívidas aumentou entre as famílias endividadas: de 28,7% em abril de 2010 para 29,4% em abril de 2011

Renda comprometida com dívidas aumentou entre as famílias endividadas: de 28,7% em abril de 2010 para 29,4% em abril de 2011

A maioria das famílias brasileiras endividadas possui renda inferior a 10 salários mínimos e justifica o acúmulo de débitos pelas compras excessivas no cartão de crédito, pagamentos de carnês e crédito pessoal. Estas são algumas das conclusões da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), apurada mensalmente, em todos os estados, pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) e divulgada em abril de 2011.

Por família, a instituição entende todas as pessoas residentes de uma mesma casa. Dos 17.800 consumidores consultados, 64,8% consideram-se endividados. Mas há esperança: destes, apenas 8,4% disseram não ter condições de pagar suas contas.

Confira mais resultados da pesquisa no infográfico abaixo:

- 15,3% das famílias se consideraram muito endividadas em março de 2011, contra 14,5% em março de2010.

- 71,6% das famílias endividadas apontam o cartão de crédito como um de seus principais tipos de dívida, seguidos de 21,9% com carnês e 10,6% com financiamento de carros.

- 29,0% das famílias endividadas estão comprometidas com débitos por até três meses, e 28,1% por mais de um ano.- O tempo médio de atraso, dentre as famílias com contas ou dívidas atrasadas, aumentou de 57,8 dias em 2010, para 58,6 dias em 2011.

Fonte:
Confederação Nacional do Comércio (CNC)

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

Prazo para o saque do benefício foi prorrogado e vai até 31 de agosto.
Prazo para o saque do benefício foi prorrogado e vai até 31 de agosto.
Divulgação/Agência Brasil
Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Inadimplência ainda é a segunda maior para o mês de julho desde 1991, aponta o Serasa
Foto: Agência Brasil/Divulgação
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministro Dyogo Oliveira durante audiência que debateu a PEC 241
Ministério do Planejamento
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Ministros participam de audiência sobre Novo Regime Fiscal
Divulgação: Agência Brasil
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Segundo indicador, consumidores têm boas expectativas para queda do desemprego e melhoria da renda
Reprodução/Agência Brasil

Governo digital