Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 09 > Simples Nacional

Economia e Emprego

Simples Nacional

Regime especial de tributação que beneficia microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) vai passar por alterações em 2012
por Portal Brasil publicado: 15/09/2011 17h13 última modificação: 28/07/2014 15h09

O Simples Nacional passou por mudanças em 2012 que resultaram em mais benefícios às microempresas (ME) – inclusive o Microempreendedor Individual (MEI) – , e às empresas de pequeno porte (EPP), justamente o público alvo deste regime tributário.

A alteração mais significativa foi a mudança dos limites da receita bruta para definir o “tamanho” de um empreendimento. Após a sanção da Lei Complementar nº 139/2011, as microempresas que desejam aderir ao regime de tributação devem registrar receita bruta anual de até R$ 360 mil (antes era R$ 240 mil). Para empresas de pequeno porte a variação é de R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões (antes era de R$ 240 mil a R$ 2,4 milhões). 

Além disso, o limite de receitas brutas anuais para o Microempreendedor Individual (MEI) passará de R$ 36 mil para R$ 60 mil.

Outra mudança importante é o limite extra para que as pequenas empresas exportem produtos e serviços sem serem excluídas do Simples Nacional. Elas poderão obter receita bruta de até R$ 3,6 milhões no mercado interno e mais R$ 3,6 milhões para o mercado externo.

As empresas poderão também parcelar os débitos apurados no Simples Nacional por até 60 meses.

Criado em 2007, o Simples contribui para a diminuição da carga de impostos que incide sobre o empreendedor ao oferecer alíquotas que variam de 4% a 22,9% conforme o setor de atividade e o tamanho da receita bruta da empresa. Atualmente, este regime integra os fiscos das três esferas ao unificar em uma única guia seis tributos federais (IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP) , um estadual (ICMS) e outro municipal (INSS).

Todos os procedimentos do regime são feitos pela internet, no Portal do Simples Nacional, onde atuam os contribuintes e a administração tributária dos três níveis de governo.

Fontes:
Receita Federal
Cartilha do Simples Nacional

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Linha de crédito beneficia agricultores familiares
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
O Ministério da Integração Nacional irá apoiar o setor privado com a maior oferta da história para os Fundos Regionais para o desenvolvimento, R$ 117 bilhões ao longo dos próximos 4 anos
Fundos Regionais receberão R$ 28 bilhões em 2017
O prazo para sacar o benefício (ano-base 2014) vai até 31 de agosto
Tutorial: Como consultar o Abono Salarial (ano-base 2014)
Agricultores familiares podem contar com linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para modernizar e subsidiar custeio da produção.
Linha de crédito beneficia agricultores familiares

Últimas imagens

O segurado terá que solicitar nova perícia nos últimos 15 dias antes da data limite
O segurado terá que solicitar nova perícia nos últimos 15 dias antes da data limite
Antonio Cruz/Agência Brasil
Cada agricultor familiar local pode vender até R$ 20 mil anuais, por órgão comprador
Cada agricultor familiar local pode vender até R$ 20 mil anuais, por órgão comprador
Sergio Amaral/MDSA
Taxa de investimentos produtivos interrompe sequência de oito trimestres de queda e país volta a gerar riqueza
Taxa de investimentos produtivos interrompe sequência de oito trimestres de queda e país volta a gerar riqueza
Marcos Santos/USP Imagens
O sistema de bandeiras multiplica o consumo pelo valor da bandeira, se ela for amarela ou vermelha
O sistema de bandeiras multiplica o consumo pelo valor da bandeira, se ela for amarela ou vermelha
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Governo digital