Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2011 > 10 > Acidentes de trabalho diminuem em 2010, segundo anuário da Previdência Social

Economia e Emprego

Acidentes de trabalho diminuem em 2010, segundo anuário da Previdência Social

por Portal Brasil publicado: 26/10/2011 17h06 última modificação: 28/07/2014 16h14

O número de acidentes de trabalho notificados no País teve redução em 2010. Foram registrados 701.496 acidentes de trabalho no ano passado, enquanto que em 2009 foram 733.365 acidentes. Os números fazem parte do Anuário Estatístico da Previdência Social (Aeps 2010), que já está disponível no site da Previdência Social.

Apenas os acidentes de trabalho de trajeto, que ocorrem nos deslocamentos do trabalhador, tiveram aumento e passaram de 90.180 no ano de 2009 para 94.789, em 2010. O número de mortes decorrentes de acidentes de trabalho cresceu 11,4% em 2010 comparando-se com 2009. Foram 2.712 mortes em vários setores de atividades no último ano e 2.560 em 2009.

Para o diretor do Departamento de Políticas de Saúde e Segurança Ocupacional do Ministério da Previdência, Remígio Todeschini, os números demonstram que a segurança no trabalho necessita de investimentos ainda maiores e constante vigilância por parte de empregadores, trabalhadores e governos. “Os cuidados com os ambientes de trabalho devem ser redobrados para que se fortaleça a cultura da prevenção acidentária da Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho”, destacou Todeschini.


Economia 

O Aeps 2010 traz o número de acidentes de trabalho registrados de acordo com o setor da economia. O setor de serviços ainda é líder no número de registros, com 331.895 notificações de acidente de trabalho em 2010. Logo em seguida está o setor da indústria, que inclui a construção civil, com 307.620 ocorrências. A agropecuária apresentou 27.547 notificações e é o setor econômico com o menor número de acidentes. Todos os setores analisados apresentaram queda no número de acidentes de trabalho em 2010 com relação a 2009.


Doenças

Os acidentes de trabalho também são classificados de acordo com as lesões ou doenças sofridas pelo trabalhador. O anuário de 2010 traz informações desses registros de acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID-10), por ordem de incidência no período. Conforme vem ocorrendo nos últimos anos, a maior parte dos registros em 2010 foram de ferimentos e lesões nos membros superiores, inferiores e de dorsalgias. Os transtornos mentais e comportamentais estão entre as doenças mais incidentes no ano de 2010. A CID “Reações ao estresse grave e transtornos de adaptação”, por exemplo, apresentou 5.919 casos só no último ano.


Profissões

Outro dado apontado pelo anuário estatístico com relação aos acidentes de trabalho é o cruzamento dos registros com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Em 2010 as profissões que registraram maior índice de acidentes foram os trabalhadores da área de serviços, com 73.701 pessoas que exerciam funções transversais, tais como operadores de robôs, de veículos operados e controlados remotamente, condutores de equipamento de elevação e movimentação de cargas, com 72.102, e os trabalhadores da indústria extrativa e da construção civil, com 47.730 ocorrências.

Segundo o Ministério da Previdência Social, dados mais completos e detalhados sobre acidentes de trabalho serão divulgados até o final do ano, quando deverá ser publicado o Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho 2010 – editado conjuntamente pelos ministérios da Previdência Social e do Trabalho e Emprego.

 

Fonte:
Ministério da Previdência Social

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
BC está monitorando mercado internacional
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Para presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, as medidas econômica propostas pelo governo serão capazes melhorar a confiança do País
Objetivo do governo é inflação de 4,5% em 2017
Instituição também divulgou, nesta sexta-feira (24), dados sobre investimentos estrangeiros e transações correntes, de maio
BC está monitorando mercado internacional
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicou que o governo prosseguirá tendo limite mínimo de recursos para essas áreas
Meirelles: restrição não afetará Saúde e Educação

Últimas imagens

De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), neste exercício, entram em vigor as novas regras estabelecidas pela Medida Provisória 665
De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), neste exercício, entram em vigor as novas regras estabelecidas pela Medida Provisória 665
Foto: Divulgação/Caixa Econômica
Para o calendário 2015/2016 foram disponibilizados 20 milhões de benefícios do Abono Salarial, o que representa um montante de R$ 17 bilhões
Para o calendário 2015/2016 foram disponibilizados 20 milhões de benefícios do Abono Salarial, o que representa um montante de R$ 17 bilhões
Foto: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil
Linha Pró-Cotista é voltado para trabalhadores com pelo menos 36 meses de vínculo com o FGTS (não necessariamente seguidos)
Linha Pró-Cotista é voltado para trabalhadores com pelo menos 36 meses de vínculo com o FGTS (não necessariamente seguidos)
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Inadimplência no rotativo do cartão de crédito foi a que mais caiu
Inadimplência no rotativo do cartão de crédito foi a que mais caiu
Marcos Santos/USP Imagens
Os financiamentos imobiliários cresceram 0,7% e saldo total dessas operações soma R$ 516,8 bilhões
Os financiamentos imobiliários cresceram 0,7% e saldo total dessas operações soma R$ 516,8 bilhões
Kelsen Fernandes/Fotos Públicas

Governo digital