Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2012 > 02 > Oportunidade e necessidade

Geral

Oportunidade e necessidade

Qual a diferença entre empreendedorismo por necessidade e por oportunidade. Como se comportam estas diferentes motivações para abrir um negócio e qual a importância desta classificação para o desenvolvimento dos países
por Portal Brasil publicado: 24/01/2012 12h13 última modificação: 28/07/2014 16h53

A motivação para iniciar um negócio é um dos temas mais importantes em pesquisas sobre empreendedorismo porque demonstra o grau de maturidade e desenvolvimento de um país. Existem dois tipos de empreendedorismo: aquele buscado por necessidade e o motivado por oportunidade.

Empreendedores por necessidade são aqueles que iniciaram um empreendimento autônomo por não possuírem melhores opções para o trabalho e precisam abrir um negócio a fim de gerar renda para si e suas famílias.

Já os empreendedores por oportunidade optam por iniciar um novo negócio, mesmo quando possuem alternativas de emprego. Eles têm níveis de capacitação e escolaridade mais altos e empreendem para aumentar sua renda ou pelo desejo de independência no trabalho.

Enquanto o empreendedorismo por necessidade está mais suscetível à conjuntura econômica dos países e tende a diminuir quando a oferta de emprego é maior, o empreendedorismo por oportunidade tem maiores chance de sucesso e tem um forte impacto sobre o crescimento econômico de um país.

Pela pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2010 percebe-se que nos países com maior desenvolvimento econômico, a razão entre oportunida¬de e necessidade é superior à dos demais. Na Islândia, por exemplo, para cada empreendedor por necessidade há outros 11,2 por oportunidade. Já países com menor desenvolvimento econômico apresentam razões menores entre os empreendedores por oportunidade e necessidade.

No Brasil, os empreendedores por oportunidade são maioria, sendo que a relação oportunidade X necessidade tem sido superior a 1,4 desde o ano de 2007. Em 2010, para cada empreendedor por ne¬cessidade havia outros 2,1 que empreenderam por oportunidade. Esse valor é semelhante à média dos países que participaram da pesquisa, que foi de 2,2. Nos Estados Unidos, essa razão está um pouco acima da brasileira, de 2,4.

Entre os empreendedores por oportunidade, a pesquisa aponta que 43% o fizeram pela busca de maior independência e liberdade na vida profissional; 35,2% pelo aumento da renda pessoal; 18,5% apenas para a manutenção de sua renda pessoal, enquanto 3,3% citaram outros motivos. Agrupando os dois primeiros perfis, 78,2% vislum¬bram uma oportunidade de aprimorar a vida com o negócio que estão abrindo.

Independente da motivação, os países que apostam na capacitação dos empreendedores – seja por necessidade ou oportunidade – investem na geração de empresas mais eficientes e produtivas. Mesmo os empreendedores por necessidade podem gerar bons resultados para os seus negócios e transformar seus empreendimentos em oportunidade de novos ganhos.

Fontes:

- Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM)

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Pablo Claudino - Bancário
O 1° de Maio está sendo comemorado em um momento crucial para as relações trabalhistas do Brasil.
Dilma decreta criação de fórum para debater políticas trabalhistas
Nesta quinta (30), véspera do Dia Internacional do Trabalhador, Dilma Rousseff recebeu representantes de diversas centrais sindicais
José Aparecido - Padeiro
O José Aparecido é um simpático padeiro que já treinou muita gente nessa vida
O 1° de Maio está sendo comemorado em um momento crucial para as relações trabalhistas do Brasil.
Pablo Claudino - Bancário
Nesta quinta (30), véspera do Dia Internacional do Trabalhador, Dilma Rousseff recebeu representantes de diversas centrais sindicais
Dilma decreta criação de fórum para debater políticas trabalhistas
O José Aparecido é um simpático padeiro que já treinou muita gente nessa vida
José Aparecido - Padeiro

Governo digital