Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2012 > 09 > Cerca de 25 mil desempregados fazem curso profissionalizante no País

Economia e Emprego

Cerca de 25 mil desempregados fazem curso profissionalizante no País

por Portal Brasil publicado: 12/09/2012 12h33 última modificação: 28/07/2014 16h36
Divulgação / Portal Brasil Cursos aumentam as chances de retorno ao mercado de trabalho em menor tempo

Cursos aumentam as chances de retorno ao mercado de trabalho em menor tempo

Desde julho, quem solicitar o seguro-desemprego três vezes terá que passar por qualificação pelo Pronatec

Pessoas que estão desempregadas e recebem o seguro-desemprego podem realizar cursos de qualificação profissional por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Atualmente, cerca de 25 mil trabalhadores desempregados são atendidos pelo programa e 50 mil estão pré-matriculados, segundo levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O governo pretende beneficiar 120 mil pessoas até o final de 2012.

O estado que teve a maior quantidade de desempregados interessados foi o Rio de Janeiro, com 7,5 mil matriculados; seguido por São Paulo, com 7 mil; e Mato Grosso, com 6,4 mil. Roraima, por outro lado, contabilizou 15 inscritos. Outros estados com poucas matrículas foram o Amapá, com 23, e o Maranhão, com 30.

Os interessados são atendidos pelo Pronatec na modalidade Bolsa Formação Seguro-Desemprego, que tem como objetivo capacitar os beneficiários do seguro-desemprego com cursos de formação inicial continuada.

“O Pronatec Seguro-Desemprego vem realizando um forte trabalho de melhoria da qualificação profissional dos beneficiários, melhorando substancialmente suas chances de retornar ao mercado de trabalho em um menor espaço de tempo”, avalia o diretor do Departamento de Empresas e Salário do MTE, Rodolfo Torelly.


Seguro-desemprego

Desde julho deste ano, os trabalhadores de capitais e regiões metropolitanas de todo o País que solicitarem o seguro-desemprego pela terceira vez em um período de dez anos terão que fazer o curso de qualificação.

O segurado deve apresentar o comprovante de matrícula nos cursos no ato do recebimento do benefício, nas agências da Caixa Econômica Federal. Os cursos são reconhecidos pelo MTE ou pelo Ministério da Educação (MEC) e possuem carga horária mínima de 160 horas.

Os trabalhadores receberão o benefício ao longo da realização dos cursos, que serão gratuitos e oferecidos por serviços nacionais de aprendizagem, como o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

O pagamento do seguro-desemprego é um benefício garantido na Constituição Brasileira que tem por objetivo, além de prover assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa, auxiliá-lo na manutenção e na busca de emprego, promovendo para tanto, ações integradas de orientação, recolocação e qualificação profissional.


Cursos oferecidos

O Pronatec também atende outras modalidades destinadas à estudantes ou pessoas empregadas, é o caso do Bolsa Formação Estudante e o Bolsa Formação Trabalhador. São 220 cursos oferecidos distribuídos em 13 eixos tecnológicos, que se encontram no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos e constitui-se em referência e fonte de orientação para a oferta dos cursos técnicos no País.

 

Leia mais:

Liberados mais de R$ 174 mi para pagamento de seguro-desemprego

Cursos profissionalizantes auxiliam trabalhadores

Parceria garante oferta de cursos técnicos e de formação profissional

Trabalhador terá que fazer curso de qualificação para receber o seguro-desemprego

Mais de 263 mil beneficiários do Brasil Sem Miséria se matricularam em cursos de qualificação

 

Fonte:
Agência Brasil
Ministério do Trabalho e Emprego
Ministério da Educação
Senai

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Vendas do varejo crescem 3,6% em agosto
Pesquisa mensal de comércio do IBGE aponta que as vendas do varejo cresceram em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. O setor de móveis e eletrodomésticos foi o que registrou o maior crescimento
Pesquisa mensal de comércio do IBGE aponta que as vendas do varejo cresceram em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. O setor de móveis e eletrodomésticos foi o que registrou o maior crescimento
Vendas do varejo crescem 3,6% em agosto

Últimas imagens

Principal destino das exportações do agronegócio brasileiro foi a China
Principal destino das exportações do agronegócio brasileiro foi a China
Reprodução/Rede Minas de Televisão
Com a documentação que comprove o óbito e o vínculo com o falecido, não é necessário seguir o calendário de saque
Com a documentação que comprove o óbito e o vínculo com o falecido, não é necessário seguir o calendário de saque
Foto: Rodrigo de Oliveira/Caixa
Total de R$ 3 bilhões irá para 2.420.458 contribuintes
Total de R$ 3 bilhões irá para 2.420.458 contribuintes
Arquivo/ EBC

Governo digital