Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2013 > 01 > Nova carteira de pescador profissional começa a ser entregue nesta quarta-feira (9)

Economia e Emprego

Nova carteira de pescador profissional começa a ser entregue nesta quarta-feira (9)

por Portal Brasil publicado: 08/01/2013 17h15 última modificação: 30/07/2014 00h25
EBC Ministério da Pesca e Aquicultura assina termo para melhorar atendimento de pescadores nas colônias

Ministério da Pesca e Aquicultura assina termo para melhorar atendimento de pescadores nas colônias

O documento permitirá o acesso aos programas do governo e a benefícios trabalhistas

A nova carteira de identificação de pescador profissional começa a ser distribuída a partir desta quarta-feira (9). Os primeiros 100 documentos serão entregues pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, para pescadores do Distrito Federal, que trabalham no Lago Paranoá. O documento é semelhante a uma carteira de identidade e terá um chip com todos os dados do trabalhador.

A carteira tem validade contínua, não precisa ser renovada. O novo documento foi criado para desburocratizar a concessão de benefícios aos pescadores e evitar fraudes. Antes, a carteira só poderia ser retirada nas capitais. Agora, pode ser adquirida nas 1.200 colônias de pescadores do país e nas superintendências estaduais do ministério.

Ao longo de 2013, mais de um milhão de carteiras serão distribuídas no país. Para obter o documento, o interessado precisa atualizar o registro no ministério. “O objetivo é facilitar a vida do pescador profissional e trazer um reconhecimento sobre a valorização dessa atividade, por meio de uma ação do Ministério da Pesca, com a definição de um documento que venha a possibilitar esse reconhecimento enquanto exercício de atividade profissional como qualquer outra”, disse o diretor do Departamento de Registro da Pesca e Aquicultura, Clemerson José Pinheiro.

Registro Geral Da Pesca - RGP

O documento foi criado pelo ministério e para emitir o Registro, o pescador ou pescadora profissional deve se dirigir ao escritório da Superintendência do MPA no seu estado (para acessar a lista de endereços e contatos clique aqui).

Com o RGP, o pescador ou pescadora profissional artesanal tem acesso aos programas sociais do governo federal, como microcrédito, assistência social e o seguro desemprego, que é pago nos meses do Defeso - período em que é proibida a pesca para proteger a reprodução de peixes, lagostas e camarões.

A emissão do documento exige, agora, informações mais completas, o que permite ao MPA  informações sobre todas as categorias de profissionais e atividades ligadas ao setor, proporcionando a inscrição apenas dos verdadeiros pescadores.

Portar ilegalmente o Registro Geral da Pesca é crime. Por causa dessa prática ilegal, muitos pescadores ficam sem receber os recursos a que têm direito, como o dinheiro pago pelo seguro, e acabam enfrentado dificuldades para sustentar suas famílias durante os meses do Defeso.

Fonte:

Ministério da Pesca e Aquicultura
Agência Brasil



Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Segmento de transportes contribui para crescimento do setor de serviços
Setor de serviços cresceu 1% entre os meses de março e abril
Setor de serviços cresceu 1% entre os meses de março e abril
Segmento de transportes contribui para crescimento do setor de serviços

Últimas imagens

A perspectiva para os próximos meses é de que a demanda doméstica do setor de turismo continue crescendo
A perspectiva para os próximos meses é de que a demanda doméstica do setor de turismo continue crescendo
Arquivo EBC
Ministro José Múcio Monteiro afirmou que quadro é preocupante
Ministro José Múcio Monteiro afirmou que quadro é preocupante
José Cruz/Agência Brasil
Projeção do BC para a inflação de 2017 melhorou de 4% para 3,8%
Projeção do BC para a inflação de 2017 melhorou de 4% para 3,8%
Beto Nociti/BCB
Expectativa é retirar a vacina entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido como livre da doença
Expectativa é retirar a vacina entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido como livre da doença
Arquivo/Agência Brasil
Ministro e representantes de sindicatos em reunião nessa quarta-feira (21)
Ministro e representantes de sindicatos em reunião nessa quarta-feira (21)
Foto: Edu Andrade/Ministério do Trabalho

Governo digital