Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2013 > 10 > IPCA dos últimos 12 meses fica em 5,86%

Economia e Emprego

IPCA dos últimos 12 meses fica em 5,86%

Consumidor

Número está dentro da meta do governo. Dos 9 grupos de produtos e serviços pesquisados, 5 tiveram resultados maiores que o mês anterior
por Portal Brasil publicado: 09/10/2013 11h18 última modificação: 30/07/2014 00h33

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quarta-feira (9), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Considerando os últimos 12 meses o índice ficou em 5,86%, dentro da meta do governo e abaixo dos 6,09% relativos aos 12 meses anteriores.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, cinco mostraram resultados superiores aos verificados no mês anterior e quatro ficaram abaixo: Artigos de Residência, Despesas Pessoais, Educação e Comunicação.

Itens mobiliários, que passou de 1,22% em agosto para -0,19% em setembro, e conserto de equipamentos domésticos (de 1,16% para 0,84%) foram destaques nos Artigos de Residência (de 0,89% para 0,65%). Nas Despesas Pessoais (de 0,39% para 0,20%) sobressaíram os itens recreação (de 0,80% para -0,24%) e empregados domésticos (de 0,53% para 0,46%).

Dentre os índices regionais, o maior foi o de Brasília (0,70%), onde as passagens aéreas, com peso de 2,11% e variação de 17,68%, causaram impacto de 0,37 ponto percentual. O menor foi o índice de Salvador (0,03%) em virtude dos alimentos consumidos no domicílio, que apresentaram queda de 1,17%:

Quanto aos alimentos em queda no mês, o destaque ficou com o feijão carioca, que ficou 13,95% mais barato e exerceu o principal impacto para baixo, com -0,04 ponto percentual. Outros produtos também apresentaram queda, como é mostrado a seguir:

Fonte:

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

registrado em: , ,
Assunto(s): Economia, Serviços

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
A revolução agrícola brasileira
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
Um projeto para o futuro
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
A revolução agrícola brasileira
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Um projeto para o futuro

Últimas imagens

Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Agências bancárias fecham nos dias 8 e 9 e retornam às atividades no dia 10
Divulgação/EBC
Produção de soja permanece como o principal destaque
Produção de soja permanece como o principal destaque
Divulgação/Ministério da Agricultura

Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Contribuintes que receberam rendimentos superior a R$ 28.123,91 estão obrigados a apresentar declaração
Divulgação/EBC
Ao todo, o volume exportado deste campo somou 59,1 milhões de barris de petróleo no ano passado
Ao todo, o volume exportado deste campo somou 59,1 milhões de barris de petróleo no ano passado
Divulgação/Petrobras
Governo federal que elevar participação brasileira no comércio mundial do agronegócio para 10% nos próximos três anos
Governo federal que elevar participação brasileira no comércio mundial do agronegócio para 10% nos próximos três anos
Divulgação/MDA

Governo digital