Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2013 > 11 > Brasil ressalta importância da agricultura no enfrentamento da fome

Economia e Emprego

Brasil ressalta importância da agricultura no enfrentamento da fome

Debate

Políticas públicas que conciliam a oferta de segurança alimentar e nutricional para as populações em situação de vulnerabilidade social são apresentadas à ONU
por Portal Brasil publicado: 28/11/2013 15h43 última modificação: 30/07/2014 00h32

Durante cerimônia oficial de lançamento do Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF 2014), nos Estados Unidos, na última sexta-feira (22), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, falou em seu discurso que o ano de 2014, representantes do governo e da sociedade civil de todo o mundo intensificarão os debates sobre a importância da agricultura familiar para promoção da segurança alimentar.

“Para nós, o Ano Internacional da Agricultura Familiar já começou e queremos intensificar os trabalhos de organização das suas atividades para que ele não seja apenas uma data comemorativa, mas um momento de ampliação e reconhecimento da agricultura familiar como parte constitutiva do desenvolvimento dos nossos países e, com isso, construir e aperfeiçoar as políticas necessárias para o fortalecimento dos agricultores familiares e de suas organizações políticas e econômicas”, afirmou Pepe Vargas.

As discussões sobre o tema ocorrerão no âmbito do AIAF 2014, instituído pelas Organizações das Nações Unidas (ONU). Na avaliação do ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, a abordagem oferecerá uma grande oportunidade para consolidar o papel desse setor no desenvolvimento sustentável dos países.

Ainda em seu discurso, o ministro ressaltou as políticas públicas que conciliam a oferta de segurança alimentar e nutricional para as populações em situação de vulnerabilidade social, com o fomento à agricultura familiar. “Felizmente, estamos superando a ideia de que bastam os mecanismos de mercado e livre comércio internacional, para dar conta dos enormes desafios de alimentar milhões de pessoas em situação de fragilidade econômica e social. O mercado é importante e o comércio internacional é decisivo para suprir as necessidades de uma população que continua crescendo. (...) Mas, por mais importantes que sejam o mercado e o comércio internacional, a oferta de políticas públicas de crédito, seguro agrícola, garantia de preços, assistência técnica e extensão rural, acesso às compras governamentais, entre outros instrumentos, é decisiva para garantir o desenvolvimento da agricultura familiar”, ponderou.

“O nosso País, desde 2003, em um rico processo de participação social, a partir do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, construiu essa estratégia de via dupla, por meio de compras governamentais de alimentos por agricultores familiares para a alimentação escolar e para doação à rede de assistência social”, referindo-se ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A definição conjunta de conceitos prioritários para o encaminhamento de programas e ações mundiais - como a definição do termo “agricultura familiar”- também foi citada como um avanço que facilitará o desenvolvimento dos debates no AIAF. “O Brasil sente orgulho de participar da construção desses conceitos e referências, a partir dos nossos fóruns multilaterais. Fóruns que contam com a participação dos governos e da sociedade, a exemplo do Conselho de Segurança Alimentar da FAO [Organização das Nações Unidas pela Alimentação e Agricultura]. (...) Reafirmamos nosso compromisso com esse processo e com a organização das atividades do Ano Internacional da Agricultura Familiar”.

Escute o discurso completo do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas.

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Agrário

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

A revolução agrícola brasileira
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
Um projeto para o futuro
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Exemplos e desafios
Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic elogia medidas acertadas para agricultura e aborda desafios do País para o futuro.
De acordo com representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, País passou de grande importador a segundo maior exportador de commodities alimentares.
A revolução agrícola brasileira
Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, afirma que País tem grandes possibilidades de se tornar maior exportador mundial de alimentos.
Um projeto para o futuro
Representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic elogia medidas acertadas para agricultura e aborda desafios do País para o futuro.
Exemplos e desafios

Últimas imagens

Ministério da Agricultura já repassou R$ 989,3 milhões para 12 bancos para linhas de capital de giro de cooperativas de produção e de indústria de torrefação e moagem
Ministério da Agricultura já repassou R$ 989,3 milhões para 12 bancos para linhas de capital de giro de cooperativas de produção e de indústria de torrefação e moagem
Divulgação/EBC
Os dados constam do boletim Focus do BC
Os dados constam do boletim Focus do BC
Divulgação/Governo do Espírito Santo
Petrobras figura na segunda posição do ranking de empresas mais desejadas entre os jovens
Petrobras figura na segunda posição do ranking de empresas mais desejadas entre os jovens
Agência Petrobras
Ferramenta vai gerir e disponibilizar informações sobre os diferentes setores do agronegócio brasileiro
Ferramenta vai gerir e disponibilizar informações sobre os diferentes setores do agronegócio brasileiro
Divulgação/Governo de TO

Governo digital