Você está aqui: Página Inicial > Economia e Emprego > 2013 > 11 > Brasil ressalta importância da agricultura no enfrentamento da fome

Economia e Emprego

Brasil ressalta importância da agricultura no enfrentamento da fome

Debate

Políticas públicas que conciliam a oferta de segurança alimentar e nutricional para as populações em situação de vulnerabilidade social são apresentadas à ONU
por Portal Brasil publicado: 28/11/2013 15h43 última modificação: 30/07/2014 00h32

Durante cerimônia oficial de lançamento do Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF 2014), nos Estados Unidos, na última sexta-feira (22), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, falou em seu discurso que o ano de 2014, representantes do governo e da sociedade civil de todo o mundo intensificarão os debates sobre a importância da agricultura familiar para promoção da segurança alimentar.

“Para nós, o Ano Internacional da Agricultura Familiar já começou e queremos intensificar os trabalhos de organização das suas atividades para que ele não seja apenas uma data comemorativa, mas um momento de ampliação e reconhecimento da agricultura familiar como parte constitutiva do desenvolvimento dos nossos países e, com isso, construir e aperfeiçoar as políticas necessárias para o fortalecimento dos agricultores familiares e de suas organizações políticas e econômicas”, afirmou Pepe Vargas.

As discussões sobre o tema ocorrerão no âmbito do AIAF 2014, instituído pelas Organizações das Nações Unidas (ONU). Na avaliação do ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, a abordagem oferecerá uma grande oportunidade para consolidar o papel desse setor no desenvolvimento sustentável dos países.

Ainda em seu discurso, o ministro ressaltou as políticas públicas que conciliam a oferta de segurança alimentar e nutricional para as populações em situação de vulnerabilidade social, com o fomento à agricultura familiar. “Felizmente, estamos superando a ideia de que bastam os mecanismos de mercado e livre comércio internacional, para dar conta dos enormes desafios de alimentar milhões de pessoas em situação de fragilidade econômica e social. O mercado é importante e o comércio internacional é decisivo para suprir as necessidades de uma população que continua crescendo. (...) Mas, por mais importantes que sejam o mercado e o comércio internacional, a oferta de políticas públicas de crédito, seguro agrícola, garantia de preços, assistência técnica e extensão rural, acesso às compras governamentais, entre outros instrumentos, é decisiva para garantir o desenvolvimento da agricultura familiar”, ponderou.

“O nosso País, desde 2003, em um rico processo de participação social, a partir do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, construiu essa estratégia de via dupla, por meio de compras governamentais de alimentos por agricultores familiares para a alimentação escolar e para doação à rede de assistência social”, referindo-se ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A definição conjunta de conceitos prioritários para o encaminhamento de programas e ações mundiais - como a definição do termo “agricultura familiar”- também foi citada como um avanço que facilitará o desenvolvimento dos debates no AIAF. “O Brasil sente orgulho de participar da construção desses conceitos e referências, a partir dos nossos fóruns multilaterais. Fóruns que contam com a participação dos governos e da sociedade, a exemplo do Conselho de Segurança Alimentar da FAO [Organização das Nações Unidas pela Alimentação e Agricultura]. (...) Reafirmamos nosso compromisso com esse processo e com a organização das atividades do Ano Internacional da Agricultura Familiar”.

Escute o discurso completo do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas.

Fonte:
Ministério do Desenvolvimento Agrário

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Dilma participa da abertura da colheita em Eldorado do Sul
Presidenta também inaugurou a unidade de secagem e armazenagem de arroz da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados de Porto Alegre
Dilma afirma que ajuste fiscal irá garantir crescimento
Presidenta ressaltou a importância da aprovação das medidas fiscais propostas pelo governo para que país saia da atual situação
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
Presidenta também inaugurou a unidade de secagem e armazenagem de arroz da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados de Porto Alegre
Dilma participa da abertura da colheita em Eldorado do Sul
Presidenta ressaltou a importância da aprovação das medidas fiscais propostas pelo governo para que país saia da atual situação
Dilma afirma que ajuste fiscal irá garantir crescimento
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro
“Gasto de custeio da máquina do governo hoje é menor que em 2010”, diz ministro

Últimas imagens

Mulheres ativas no mercado de trabalho – ou seja, que exercem alguma atividade remunerada – chegam a dedicar quase o dobro do tempo aos afazeres domésticos na comparação com os homens inativos
Mulheres ativas no mercado de trabalho – ou seja, que exercem alguma atividade remunerada – chegam a dedicar quase o dobro do tempo aos afazeres domésticos na comparação com os homens inativos
Foto: Foto: Sergio Amaral/MDS
As gravações ocorreram nas cidades de Brasília (DF), Itajaí (SC), Foz do Iguaçu (PR) e Vitória (ES)
As gravações ocorreram nas cidades de Brasília (DF), Itajaí (SC), Foz do Iguaçu (PR) e Vitória (ES)
Entidade do setor de materiais de construção aponta que 45% dos empresários pretendem retomar investimentos
Entidade do setor de materiais de construção aponta que 45% dos empresários pretendem retomar investimentos
Foto: Cayo Vieira/EBC
Atualmente, FGTS financia a fundo perdido 95% das moradias para as faixas do programa voltadas para população de baixa renda
Atualmente, FGTS financia a fundo perdido 95% das moradias para as faixas do programa voltadas para população de baixa renda
Divulgação/EBC
Em 2015, 1.590 jovens em todo o estado foram inseridos no mercado de trabalho a partir das ações de fiscalização
Em 2015, 1.590 jovens em todo o estado foram inseridos no mercado de trabalho a partir das ações de fiscalização
Divulgação/Governo de Rondônia

Governo digital